Coronavírus | Como lidar com Home Office e isolamento quando se tem crianças?

Por Nathan Vieira | 25 de Março de 2020 às 14h04

Com a pandemia do novo coronavírus, causador da COVID-19, a recomendação geral é ficar em casa. Muitas escolas suspenderam suas atividades, e muitas empresas permitiram que seus funcionários trabalhassem home office. No entanto, quem tem filhos em casa acaba passando por um pouco mais de dificuldade, tanto no sentido de se concentrar no trabalho, quanto no sentido de manter as crianças entretidas, longe do tédio. A equipe do Canaltech conversou com a psicopedagoga Luciana Brites, do Instituto NeuroSaber, para ajudar quem precisa trabalhar, mas também não pode deixar de dar atenção aos pequenos.

A primeira coisa que a psicopedagoga destaca é o estabelecimento de rotina: sentar toda a família e falar que tudo o que era feito antes, cada um em um lugar, agora será feito em casa. A profissional explica que é muito importante ter esta conversa, com todo mundo, principalmente com as crianças. Sendo assim, é válido expôr essa mudança de realidade. "Pode até colocar na parede. Então é importante estabelecer momentos de conversa", conta.

Quanto a distrair as crianças, a psicopedagoga propõe outra coisa: "Na verdade, a questão não é nem manter a criança distraída. O que temos que fazer é manter as crianças ocupadas com algo que elas reconheçam a importância, algo que seja importante para o desenvolvimento cognitivo, mas também uma forma delas serem estimuladas. Atividades que elas dão conta sem precisar de tanta demanda do adulto".

Questionada sobre as crianças exigirem a atenção dos pais, a psicopedagoga diz que o que acontece é que essa é uma situação diferente, e que criança em qualquer momento quer a atenção do pai ou da mãe. "É o que eles mais desejam. Alguns conseguem isso brincando e fazendo carinho, outros conseguem isso gritando e brigando. Então depende de como a mãe vai poder gerenciar e trabalhar esse tipo de contexto com cada criança".

Como lidar com isolamento e filhos

A psicopedagoga afirma que tudo na vida tem pontos positivos e negativos, e nesse momento, o ideal — principalmente em relação às crianças — é tentar trabalhar mais os pontos positivos do isolamento social. "Você está mais por dentro do que os seus filhos estão fazendo, e por outro lado os seus filhos ficam por dentro do que você está fazendo, do porquê às vezes você trabalha tanto. Compartilhar as rotinas e as necessidades de cada um, mostrar as obrigações de cada um. Isso também é importante".

Além disso, a psicopedagoga orienta a, primeiro, manter a calma, tratar da forma mais natural possível e, principalmente, pensando que isso é temporário: "Não é para sempre. É algo que, por enquanto está assim, mas não é para sempre". Luciana ainda ressalta a importância de estabelecer alguns objetivos a serem cumpridos pelas crianças em meio à rotina, e no final do dia recompensá-las com alguma atividade em conjunto (como assistir a um filme, por exemplo).

"Também é muito importante fazer os filhos participarem das atividades domésticas, cada um arrumando a sua cama, lavando a louça depois da refeição. Todas essas coisas são importantes para dar esse senso de comunidade e de responsabilidade", aponta a profissional.

Tendo os conselhos da psicopedagoga em mente, trouxemos também algumas dicas de aplicativos, ferramentas e outros recursos que podem ser seu aliado na hora de conciliar o isolamento social e o home office com a companhia dos filhos, da melhor maneira possível.

Serviços de streaming

Assim como a psicopedagoga ressaltou, uma opção interessante (e até muito importante) seria apresentar ao seu filho um conteúdo que seja divertido a ponto de ocupá-lo e prender a atenção, mas que ao mesmo tempo seja educativo. Um exemplo disso é a plataforma PlayKids, que é basicamente um streaming desse tipo de conteúdo.

Tal como outros serviços de streaming, a plataforma está disponibilizando, a partir deste final de semana, diversos conteúdos para as crianças de todo mundo sobre higiene pessoal, conscientização social e outros temas que vão auxiliar os pais em tempos de coronavírus. Além de falar sobre higiene, a PlayKids disponibiliza centenas de atividades para as crianças que vão ficar em casa durante o período de suspensão de aulas. Para acessar pelo smartphone ou tablet, basta baixar o app pela Play Store ou App Store.

Outro exemplo bacana é o Globoplay, que também está disponibilizando, durante 30 dias, diversos conteúdos para não assinantes. Para entreter a criançada, mais de 30 títulos infantis como Detetives do Prédio Azul, Escola de Gênios, Mya Go, Bob Zoom, Valentins e Dr. Calça Dimensional estarão abertos. Além desses produtos, séries e outras produções também estarão disponíveis para toda família em uma página agregadora na plataforma que irá reunir todos os conteúdos.

Atividades

Molecada dentro de casa, afastada do convívio com outras crianças... desse jeito, fica a árdua tarefa dos responsáveis de conciliar trabalho e atividades que os mantenham na rotina. Leonardo Lopes, gerente educacional da rede de escolas Luminova, separou algumas dicas para os pais.

“Neste momento em que os familiares têm que dar conta do trabalho, da casa e dos filhos, a primeira dica é certificar as configurações de privacidade e segurança dos dispositivos conectados à internet. Precisamos ter em mente que não será possível vigiá-los 24 horas por dia, então, se alguns acessos já estiverem bloqueados, como salas de bate-papo com desconhecidos, é uma coisa a menos para se preocupar”, sugere o educador. Depois, a dica é convidar as crianças e jovens a criarem, juntos, uma programação de tarefas. “É preciso estimular a criatividade, habilidade que na escola é desenvolvida em diversas atividades. Em casa, a pergunta que se pode fazer é: ‘o que podemos fazer para brincar?’ — e deixar que as próprias ideias, vindas deles, sejam de fato realizadas nesse período”, completa.

Atividades que sejam compatíveis com a idade são essenciais e a internet deve ser explorada para ajudar. Aos menores, por exemplo, atividades de pintura, recorte e colagem são ótimas para o desenvolvimento da criatividade e coordenação motora fina. Um exercício que pode ser facilmente adaptado é o recorte de móveis de revista ou impressos da internet e que podem ser usados para reorganizar cômodos da casa. “Com as suas devidas proporções, é possível desenhar a planta da casa/dos cômodos e deixar que os pequenos façam a disposição que eles acharem mais legal. É até uma oportunidade para nós, adultos, desenvolvermos um outro olhar sobre nosso lar”, sugere. Pesquisar sobre cores para propor determinadas pinturas ou apontar lápis para usar a casquinha e fazer colagem sobre objetos e desenhos são outras formas de, mesmo dentro de casa, continuar desenvolvendo as habilidades básicas.

Já os jogos de tabuleiro são sempre bem-vindos e é uma ótima oportunidade de confraternizar com a família inteira. Para os pequenos, o jogo de mímica desenvolve a consciência corporal e a lateralidade; para os mais velhos, jogos de estratégia que unem com conhecimentos de geografia e história instigam o raciocínio lógico. Mas não é só o cérebro que precisa ser treinado; o acúmulo de energia será ainda mais perceptível nos próximos dias, já que as atividades físicas não devem acontecer, por orientações médicas. “É preciso que os jovens extravasem essa energia, então, brincadeiras de dança ou apps de realidade virtual que simulem atividades ao ar livre podem ser um meio deles não ficarem completamente parados”, comenta Leonardo.

Games

O videogame pode ser um aliado e tanto, desde que respeitadas as horas na frente da telinha. A dica é respeitar a faixa etária indicada e, se a criança for pequena, optar por joguinhos educativos e divertidos, seja nos consoles, seja no smartphone, seja na internet. Mas vale ter bom-senso: não é porque estão em casa com você trabalhando que o uso indiscriminado de telas está liberado, ilimitadamente. O Canaltech tem algumas listas de jogos para o público mirim, para te ajudar como ponto de partida.

YouTube

Além disso, seu pequeno também pode aprender e se divertir por meio do YouTube, que tem uma verdadeira gama de conteúdo a ser explorado. O canal Bel para Meninas, por exemplo, mostra a rotina de Bel, de oito anos, ao lado da mãe, Francinete Peres, e conta com vídeos que frequentemente apresentam menções a brinquedos, alimentos e outros produtos, tal como tutoriais. O canal conta com 7,44 milhões de inscritos.

Outro canal que faz sucesso com o público infantil é o TotoyKids, que basicamente cumpre a premissa de entreter as crianças apresentando "novelinhas" com brinquedos e personagens como bonecas Barbie, BabyAlive, Princesa Anna, Rainha Elsa do Frozen, Peppa Pig e Familia, Galinha Pintadinha, Pintinho Amarelinho, Homem Aranha, Batman. O grande carro chefe do canal é o especial de massinhas de modelar. Ele tem 16,4 milhões de inscritos.

E que tal cozinhar junto com seus filhos? O canal Então Raquel, que antigamente se chamava Receita de Pai para Filha, traz à tona várias receitinhas bem fáceis, que podem ser feitas como atividades conjuntas entre os pais e os filhos, e atualmente conta com outros conteúdos além das receitas. Vale lembrar também da existência do YouTube Kids, um aplicativo criado para proporcionar às crianças um ambiente mais controlado que torna a exploração mais simples, além de facilitar a orientação dos pais e cuidadores à medida que descobrem novos e incríveis interesses ao longo do caminho.

Além disso, você pode apresentar aos pequenos desenhos, filmes, músicas e séries que curtia quando você tinha a idade deles. Pode ser muito divertido e criar memórias afetivas incríveis.

Aplicativos

Alguns aplicativos também podem não só entreter as crianças, como também ajudar a orientar nessa fase de quarentena. Para inspirar pais e mães na tarefa de manter hábitos saudáveis com os filhos, neste período em que estão passando o tempo em casa, o app NesPLAY, por exemplo, está lançando novas atividades para a família. São atividades inéditas que mesclam diversão e informação.

As novidades incluem as atividades "Lavando as mãos", para incentivar a higienização correta das mãos, o desafio "Lavar as mãos", que apresenta brincadeiras criativas e diversificadas para tornar esse momento mais divertido - e simples de fazer no dia a dia e o "Poder do Sabão", que propõe um experimento para as crianças perceberem como o sabão protege as mãos.

A nova playlist traz, ainda, ideias inspiradas por marcas como Ninho, Nescau (Jogadeira) e Receitas Nestlé, com o objetivo de estimular pais e filhos a brincarem juntos em casa e reforçarem hábitos saudáveis. O app NesPLAY é gratuito e está disponível para celulares Android e iOS. A ferramenta faz parte da iniciativa Nestlé por Crianças Mais Saudáveis.

A Play Store e a App Store também contam com vários aplicativos de Jogos Educativos completamente gratuitos, que podem ser baixados rapidamente e funcionam como verdadeiros aliados na tentativa de manter as crianças ocupadas, se divertindo e, ao mesmo tempo, aprendendo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.