Publicidade

O avanço da IA e da computação de alto desempenho no Planejamento Estratégico

Por| 12 de Janeiro de 2024 às 09h00

Link copiado!

Pexels/cottonbro studio
Pexels/cottonbro studio

O uso da Inteligência Artificial (IA) se intensifica e se expande ao redor do mundo em formas e usos de aplicação. O Brasil está entre os países que mais utilizam IA na América Latina, com 63% das empresas brasileiras utilizando soluções baseadas nessa tecnologia, segundo estudos da SAS e IDC. A mesma pesquisa revelou que 90% das companhias nacionais investem em dados e ferramentas de analytics com o objetivo de identificar tendências e padrões de consumo, índice é superior à média da América Latina (60%).

A IA tem sido uma sólida ferramenta para a coleta, análise e interpretação de grandes volumes de dados de empresas e do mercado para realização de um planejamento estratégico, o que gera entendimento e insights valiosos sobre seu ambiente de negócios, concorrência, clientes e operações internas. Diante desse cenário, se torna fundamental o investimento em computação de alto desempenho, com data center avançado e de alta produtividade, com soluções inovadoras para cargas de trabalho e computação técnica em nuvem. 

De acordo com as necessidades e objetivos específicos de cada empresa, a IA, por meio de análise de dados e modelos de machine learning, pode levar em consideração as preferências e histórico da companhia na customização de ações e necessidades conforme os objetivos organizacionais. Uma mostra do universo de possibilidades em relação à personalização da rodada de planejamento das organizações. Isso é mais um sinal de que a Inteligência Artificial norteia a próxima geração da computação e o mercado não tem medido esforços para implementar essa tecnologia de forma escalada em data centers.

Continua após a publicidade

Na era de computação otimizada para cargas de trabalho, as empresas já podem desfrutar de CPUs capazes de ampliar os limites do que é possível em data center, com a oferta de novos níveis de eficiência, desempenho e escalabilidade, o que auxilia companhias na previsão de cenários futuros, com base em dados históricos e em tempo real. Isso permite a antecipação de demandas do mercado, ajuste de estratégias de produção e tomada de decisões proativas. Uma contribuição relevante para formulação prévia de planos de contingência com abertura para maximizar oportunidades e posicionar a organização de forma mais competitiva no mercado.

A adoção de computação técnica auxilia empresas a projetarem produtos e soluções mais atraentes, por meio de interações de design mais rápidas, além de promover ganhos de desempenho impressionantes.

Ferramentas de IA somadas ao uso de data centers de alta produtividade proporcionam uma visão macro apurada dos negócios, com dados integrados da cadeia de suprimentos, projeção de demandas e gestão orçamentária alinhada, bem como simular cenários para testar diferentes estratégias e identificar a melhor abordagem para atingir os objetivos estratégicos.

Fica evidente que o uso de computação de alto desempenho, com cargas de trabalho nativas da nuvem dinamizam o planejamento estratégico de empresas de diferentes setores, tornando-o mais assertivo e promovendo a produtividade, com maior volume de dados processados por meio de data centers avançados, o que possibilita que líderes se aprofundarem em questões que exigem criatividade e ponderação. A IA libera o potencial da organização com processos mais precisos e humanamente efetivos para seus stakeholders internos e externos, em relação ao meio ambiente, e sem perder de vista a direção que leva aos resultados operacionais e financeiros.

Continua após a publicidade

Sergio Santos é diretor geral da AMD no Brasil.

Fonte: Com informações de Tele.Síntese