Publicidade

Teste de arma atômica feito nos anos 1940 criou um raro tipo de cristal

Por| Editado por Patricia Gnipper | 19 de Maio de 2021 às 19h30

Link copiado!

US Air Force/US Army
US Air Force/US Army

Há 76 anos, o deserto de Alamogordo, no Novo México, foi bombardeado pela primeira detonação de um dispositivo nuclear durante o teste. A explosão liberou tanta energia, que foi capaz de mudar a composição dos materiais encontrados naquela região, ao ponto de forjar um elemento radioativo que, até então, só tinha sido encontrado em meteoritos ou criados em laboratório: uma forma muito incomum de um cristal chamado icosaedrito.

Ao que tudo indica, este material foi criado diante da exposição ao calor e pressão intensas durante a primeira detonação da bomba, chamada de teste Trinity, que transformou a areia abaixo em vidro, assim como outros materiais, incluindo o metal da torre de suporte e o cobre dos fios de transmissão conectados com os instrumentos do teste. Todos esses elementos se juntaram e deram origem a um mineral chamado trinitita, um resíduo vítreo normalmente esverdeado deixado após a explosão e que é ligeiramente tóxico — em longas exposições, pode causar queimaduras.

Continua após a publicidade

Uma forma ainda mais rara de trinitita vermelha foi encontrada após a explosão no Novo México, talvez por conta dos fios de cobre que foram derretidos neste processo, fundindo-se ao mineral. O que chama a atenção dos pesquisadores é que, em análise de uma amostra de 10 microgramas, eles perceberam a estrutura cristalina que possuía uma simetria quíntupla — o que é extremamente difícil de ser encontrado na natureza.

Este cristal foi encontrado naturalmente pela primeira vez em um meteorito da Rússia, chamado de Khatyrka. Na ocasião, o astrônomo Phil Plait explicou que: “ao longo dos anos, os cristalógrafos descobriram que existem quatro tipos de simetrias que os cristais naturais podem ter: dupla, tripla, quádrupla e sêxtupla”. Por ser extremamente raro, difícil de produzir e encontrar, qualquer estudo sobre esta estrutura quíntupla é válido.

O icosaedrito encontrado no meteorito da Rússia, provavelmente se formou quando um asteroide incomum atingiu outro. O impacto foi tão violento, que gerou altas temperaturas e pressão por um período muito curto de tempo. Já este novo, encontrado no Novo México após a explosão, tem a mesma forma, mas com características químicas diferentes.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Fonte: Bad Astronomy