Símbolos pictos misteriosos são encontrados na Escócia: "descoberta de uma vida"

Símbolos pictos misteriosos são encontrados na Escócia: "descoberta de uma vida"

Por Augusto Dala Costa | Editado por Luciana Zaramela | 24 de Março de 2022 às 17h00
University of Aberdeen/Reprodução

Uma equipe de arqueólogos da instituição escocesa University of Aberdeen encontrou, no início de 2020, uma pedra coberta de entalhes feitos pelos pictos, povo indígena da região, há cerca de 1.500 anos. A descoberta do objeto, que tem 1,7 metros de comprimento, foi feita durante uma pesquisa geofísica na vila de Aberlemno, que tem raízes pictas.

Não se sabe ao certo o significado dos símbolos gravados na pedra, mas Gordon Noble, líder da escavação e professor de arqueologia da University of Aberdeen, acredita que possam ser uma forma de representar nomes. As figuras geométricas mostram desenhos ovais triplos, um conjunto de espelho e pente, um crescente e discos duplos, formando prováveis nomes pictos. Alguns dos símbolos se sobrepõem, sugerindo que foram desenhados em épocas diferentes.

Local da escavação em Aberlemno, onde foi encontra a pedra com gravações pictas (Imagem: University of Aberdeen/Reprodução)
Local da escavação em Aberlemno, onde foi encontra a pedra com gravações pictas (Imagem: University of Aberdeen/Reprodução)

Detalhes da descoberta

A pedra picta foi encontrada por acaso: os arqueólogos em questão estavam estudando a área como parte do projeto Comparative Kingship, que investigava os antigos reinos medievais do norte bretão e da Irlanda. Ao mover equipamentos pela grama de Aberlemno, eles notaram anomalias que sugeriam a existência de um assentamento no local. Escavando um fosso para descobrir o que havia logo abaixo, a pedra foi revelada, para surpresa dos pesquisadores. Um deles, Zack Hinckley, relata ter limpado a pedra com a mão, revelando um símbolo — o que "levou todos à loucura".

Apesar do ensejo de escavar e estudar a pedra imediatamente, as restrições da covid impediram os cientistas de fazê-lo por meses. Noble comenta a raridade do achado: normalmente, pedras entalhadas como essa são encontradas por fazendeiros enquanto aram a terra ou na construção de estradas, o que acaba perturbando a terra ao redor e contamina a pesquisa. A sorte grande da equipe, segundo ele, permitiu que pudessem examinar e datar as camadas geológicas ao redor da pedra, mostrando que ela é do século 5 ou 6 d.C.

A pedra com gravações pictas: no topo, a representação do espelho com pente (Imagem: University of Aberdeen/Reprodução)
A pedra com gravações pictas: no topo, a representação do espelho com pente (Imagem: University of Aberdeen/Reprodução)

Aparentemente, o objeto foi reutilizado e transformado no pavimento de uma construção do século 11 ou 12 d.C., de acordo com a datação de carbono. Outras partes do pavimento incluem artes pictográficas da Era do Bronze. A construção, segundo Noble, é posterior ao período picto, no que seria a era do Reino de Alba — um predecessor do reino medieval da Escócia. A pedra, agora, está no laboratório de conservação Graciela Ainsworth, em Edinburgo, onde mais estudos serão feitos no futuro.

Veja o vídeo gravado pela equipe de arqueólogos, que tirou "lágrimas genuínas de seus olhos":

Apenas cerca de 200 pedras com símbolos pictos são conhecidas aos arqueólogos, muitas também de Aberlemno, local conhecido por suas pedras monolíticas (como em Stonehenge). Os pictos foram um povo antigo cujo nome provavelmente deriva da palavra latina para pintura — picti —, por conta de suas pinturas corporais. Sua defesa feroz do território, que fica onde hoje é a Escócia, ajudou a impedir a conquista do local pelo Império Romano. A cultura picta foi assimilada pelos escoceses gaélicos e se perdeu por volta do século 11.

Fonte: Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.