Será possível se comunicar com as plantas? Cientistas dizem que sim

Por Gustavo Minari | 02 de Maio de 2021 às 12h00
Reprodução/NTU

Imagine como seria se as pessoas pudessem se comunicar com as plantas. Uma equipe da Universidade NTU, de Cingapura, foi além da imaginação. Os cientistas criaram um dispositivo capaz de enviar e receber sinais elétricos de uma planta carnívora, estabelecendo uma espécie de “conversa” entre ela e os seres humanos.

Com os eletrodos presos na superfície da planta, os pesquisadores conseguem monitorar os impulsos elétricos que são emitidos naturalmente pela vegetação. Isso faz com que seja possível transmitir sinais de comando para que a planta carnívora feche as folhas rapidamente.

O que elas “falam”

As plantas emitem sinais elétricos para sentir e responder ao ambiente onde vivem, mas esse sinal é muito fraco e, até agora, muito difícil de ser detectado.

Com o novo dispositivo composto de um eletrodo e uma espécie de hidrogel, os cientistas conseguem “sentir” esses impulsos elétricos, criando uma via de mão dupla para a troca de informações.

Estabelecido o contato, eles usaram um aplicativo de celular para transmitir os pulsos elétricos, provocando uma reação na planta carnívora para que ela “obedecesse” e fechasse suas mandíbulas.

Depois, os pesquisadores prenderam uma das mandíbulas da planta a um braço robótico e repetiram o estímulo elétrico, fazendo com que ela conseguisse pegar um pedaço de arame de meio milímetro de diâmetro.

Além da comunicação

Os cientistas acreditam que além de estimular reações físicas na vegetação, essa nova tecnologia pode ajudar na criação de robôs baseados em plantas, mais precisos e capazes de manipular objetos frágeis.

“Esses tipos de robôs naturais podem ter uma interface ligada a outros robôs artificiais para fazer sistemas híbridos e mais eficientes”, explica o professor Chen Xiaodong.

Braço robótico "interagindo" com a planta carnívora (Imagem: Reprodução/NTU)

Utilizando o mesmo sistema, também seria possível ajudar no monitoramento da saúde de plantações inteiras, detectando problemas nas lavouras em um estágio inicial, quando sintomas visíveis ainda não apareceram.

“Ao monitorar os sinais elétricos, podemos detectar possíveis sinais de perigo e anormalidades. Os agricultores podem descobrir quando uma doença está em andamento em suas plantações”, completa o professor Chen.

Conversa antiga

Essa não é a primeira vez que seres humanos tentam trocar uma ideia com as plantas. Em 2016, cientistas do MIT transformaram folhas de espinafre em sensores capazes de enviar e-mails de alerta para avisar sobre a presença de explosivos em águas subterrâneas.

Eles incorporaram nanotubos de carbono que emitem sinais quando as raízes da planta entram em contato com substâncias nitroaromáticas, geralmente encontradas em explosivos. Esse sinal é captado por uma câmera infravermelha que processa o estímulo e envia uma mensagem pela internet.

Com todos esses avanços, os pesquisadores esperam poder “ouvir” as plantas com mais frequência, maximizando o rendimento das safras para garantir a segurança alimentar de todo o planeta.

Quem sabe durante esse processo, também seja possível aprender a linguagem por trás desses impulsos elétricos. O que será que as plantas têm a dizer?

Fonte: NTU

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.