Pesquisadores encontram maior cobra píton da história

Pesquisadores encontram maior cobra píton da história

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 22 de Junho de 2022 às 10h32
kjwells86/envato

Pesquisadores da Flórida encontraram a maior cobra píton birmanesa (Python bivittatus) da História, com cinco metros de comprimento e 97 kg — 13,6 kg a mais do que a segunda maior já encontrada no estado. A maioria dos indivíduos da espécie varia entre 1,8 e 3 metros de comprimento.

Apesar do tamanho, as pítons birmanesas são extremamente difíceis de detectar, por isso biólogos da Conservancy of Southwest Florida implantam rastreadores GPS dentro de pítons machos e depois enviam para a natureza, eventualmente descobrindo a localização das fêmeas.

Ao encontrar e dissecar essas pítons, os cientistas estão aprendendo mais sobre as serpentes, o que comem e como podem prejudicar o ambiente que invadiram. Segundo os próprios pesquisadores, é importante retirá-las desses ecossistemas, uma vez que as fêmeas são desproporcionalmente capazes de produzir muitos descendentes.

Desde 2000, os pesquisadores de uma organização chamada Florida Fish & Wildlife sacrificaram mais de 15 mil pítons, mas os cientistas não têm ideia de quantos milhares mais podem existir. Com isso, a equipe chegou a fazer centenas de necropsias, com o objetivo de contar os óvulos em desenvolvimento e ver o que tem no intestino.

Pesquisadores encontram maior cobra píton da História (Imagem: Reprodução/National Geographic)

Depois de sacrificar a maior píton já encontrada, a equipe realizou uma necropsia e encontrou um recorde de 122 “folículos” de ovos. No trato digestivo da cobra, eles encontraram pedaços de pêlo, pedaços de osso dissolvido e um pedaço de casco, evidência de que a última refeição da píton foi um cervo adulto.

Com base em necropsias semelhantes realizadas no passado, os cientistas descobriram que as pítons birmanesas atacam cerca de 24 espécies de mamíferos, 47 espécies de aves e duas espécies de répteis no estado da Flórida. Sob o ponto de vista dos pesquisadores, essa espécie tem a capacidade de alterar totalmente o ecossistema.

Alguns ecologistas estão particularmente preocupados com o impacto que as pítons podem ter sobre a pantera da Flórida, uma espécie nativa e ameaçada de extinção. Mais pesquisas são necessárias para saber como as pítons afetam as panteras, mas se elas começarem a dizimar as bases de presas de panteras de cervos de cauda branca, isso já começaria a afetar esses animais.

Fonte: National Geographic, LiveScience

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.