Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Pepper X: relatos de quem provou a pimenta mais ardida do mundo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 28 de Outubro de 2023 às 11h30

Link copiado!

Elle Hughes/Unsplash
Elle Hughes/Unsplash

Na última semana, a Pepper X foi reconhecida pelo Guinness World Records como a pimenta mais ardida do mundo, superando a Carolina Reaper, com 2,69 milhões de unidades de calor Scoville (SHU) — a medida usada para calcular a picância. Dito isso, como é a experiência de comer esta pimenta crua, sem nenhum acompanhamento? Quem teve coragem relata “sofrer” com os sintomas da queimação por 5 a 6 horas.

Encarar sozinha a Pepper X, com altas concentrações de capsaicina, é uma missão para poucos corajosos. No seleto grupo de pessoas que provaram a pimenta mais ardida do mundo, está o seu criador, o estadunidense Ed Currie, que compartilha o quão difícil é encarar esse nível de ardência.

Continua após a publicidade

Aqui, é importante dizer que a avaliação que mediu oficialmente o nível de ardência da nova planta do gênero Capsicum não se baseou no relato pessoal de Currie. Foram pesquisadores da Winthrop University, na Carolina do Sul, que determinaram a pontuação em SHU, garantindo a neutralidade.

Como é provar a Pepper X?

Até então, a Carolina Reaper era a pimenta mais ardida do mundo, com 1,64 milhão de SHU. Para Currie, são necessários pelo menos 30 minutos para se recuperar da ardência provocada por ela, o que incluiu cólicas, conforme explica para a revista Scientific American.

No entanto, a Pepper X é ainda mais ardida, com um milhão a mais de SHU. Então, são de 5 a 6 horas para a recuperação completa. Após provar, ele explica que o sabor do da pimenta em si dura apenas um milissegundo, o tempo suficiente para as papilas gustativas sentirem do que ela é capaz e ardência começar. "Não é uma experiência muito agradável", explica.

Continua após a publicidade

Definitivamente, “eu não recomendaria comê-la crua para ninguém”, pontua. Brincando (ou não), Currie afirma: “se alguém quiser que eu faça isso de novo, terá que me pagar muito dinheiro”. Por outro lado, o criador da pimenta mais ardida do mundo alega que a Pepper X é uma ótima opção para molhos picantes, salsas mexicanas ou geleias, onde um toque de ardência pode ser bem interessante.

Por que ter a pimenta mais ardida?

Pode existir a ideia de que as pimentas mais picantes só servem para competições em que as pessoas querem descobrir quem aguenta mais a queimação provocada por uma pimenta extra picante, como a Pepper X. Só que esta é uma visão limitada, segundo Currie.

Continua após a publicidade

O sucesso dessas pimentas pode estar mesmo na indústria de alimentos. Para atingir o nível de picância necessário para um molho de pimenta industrializado, a fábrica precisará usar uma grande quantidade de pimenta-caiena, com ardência intermediária (30 a 50 mil de SHU), por exemplo.

Todo esse volume pode ser substituído por versões melhoradas da planta, como a Pepper X ou mesmo a Carolina Reaper. Inclusive, o desenvolvedor chega a afirmar que podem ser obtidas economias de até 80% com estes ingredientes selecionados pelo teor de capsaicina.

Fonte: Scientific American