Nativos americanos da antiguidade eram exímios engenheiros

Nativos americanos da antiguidade eram exímios engenheiros

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 03 de Setembro de 2021 às 15h40
Sonyachny/Envato Elements

Há cerca de três mil anos, a região onde hoje é Poverty Point, no norte do estado da Louisiana, nos Estados Unidos, teria sido ocupada por indígenas nativos americanos. O que se sabia sobre eles, até então, é que esses povos eram simples caçadores-coletores, mas um novo estudo acaba de mudar essa percepção.

Pesquisadores da Universidade de Washington em St. Louis descobriram que esses humanos não tinham costumes tão simples como são citados em livros de história, mas eram extremamente habilidosos. Segundo a descoberta, eles eram capazes até mesmo de construir estruturas enormes em questão de meses, ou até mesmo semanas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Tristram R. Kidder, autor líder do estudo, conta que uma das obras mais notáveis encontradas é de terraplanagem, que permaneceu intacta por mais de três mil anos, sem falhas ou erosão. "Em comparação, represas, pontes e rodovias modernas falham em uma regularidade incrível porque construir coisas com terra é mais complicado do que você possa imaginar", diz o pesquisador.

"Eles realmente eram engenheiros incríveis com um conhecimento técnico muito sofisticado". O Poverty Point é um monumento histórico que conta com um monte de terra de 22 metros de altura, além de cumes que formam semicírculos bem desenhados e estruturados., a quase dois milhões de metros cúbicos do solo. Essas estruturas teriam sido construídas por caçadores-coletores há cerca de 3.400 anos, sem a ajuda de qualquer ferramenta moderna, animais ou rodas. Kidder diz que o local pode ter sido usado para encontros religiosos, sendo abandonado em massa entre 2.000 a 2.200 anos atrás devido às mudanças climáticas e uma inundação que aconteceu nos arredores. Ainda assim, não foram encontrados sinais de desgaste em vários níveis do solo da região.

Para chegar às novas descobertas, os cientistas usaram métodos de pesquisa modernos, como a datação por radiocarbono, além de análises microscópicas e medições magnéticas do solo. "Há alguma magia lá que nossos engenheiros modernos ainda não foram capazes de descobrir", diz Kidder sobre o talento dos nativos americanos antigos. O estudo está disponível para consulta neste link

Fonte: Phys.org  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.