Lente criada por pesquisadores da USP pode revolucionar câmeras de celulares

Por Ramon de Souza | 30 de Julho de 2020 às 22h30

Pesquisadores da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP) criaram um invento capaz de mudar drasticamente o mercado de fotografia móvel. Liderados pelo doutorando Augusto Martins, os especialistas projetaram uma película de silício que é mil vezes mais fina do que um fio de cabelo e pode ser usada como lente fotográfica no famoso ângulo “olho de peixe” (180 graus).

O invento pesa apenas 2 microgramas, possui 230 nanômetros de espessura e uma área total de 3,14 milímetros quadrados. Seu grande diferencial é sua capacidade de atuar como lente fotográfica por si só, sem a necessidade de lentes complementares que tornam os componentes mais caros e complexos. Tal característica acompanha a tendência do mercado de adotar módulos fotográficos mais eficientes, porém cada vez menores.

“O maior benefício da nossa lente é que ela é muito fina, então promete ser mais barata de ser produzida se comparada às convencionais, que são grandes e esféricas. Como se trata de uma superfície plana, é mais fácil colocá-la em um circuito integrado, o que simplifica a parte mecânica do dispositivo”, explica Augusto. A pesquisa está sendo financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Reprodução/Jornal da USP

Como prova de conceito, o time construiu uma câmera usando uma impressora 3D para testar as capacidades da película. As imagens registradas mostram que, de fato, o experimento é promissor, embora ele só consiga (por enquanto) processar a cor verde. Augusto garante que a lente estará pronta para capturar todas as cores do espectro “dentro dos próximos meses”.

Fonte: Jornal da USP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.