Google e NASA adquirem processador quântico mais potente do mundo

Por Redação | 29 de Setembro de 2015 às 08h32
photo_camera Divulgação/D-Wave

Uma parceria entre o Google, a NASA e a Universities Space Research Association (USRA ou, em português, Associação de Pesquisas Espaciais das Universidades) resultou no Quantum Artificial Inteligence Lab, um laboratório de pesquisas que acaba de firmar parceria com a empresa de computação quântica D-Wave para o fornecimento de tecnologia.

Isso inclui a aquisição do processador quântico D-Wave 2X, o mais potente do mundo nesta categoria e que foi lançado em agosto deste ano. A partir de então, o equipamento estará em funcionamento nas instalações do NASA Ames a fim de incrementar as soluções tanto do Google quanto da agência espacial e de universidades dos Estados Unidos.

O processador tem 1.000 qubits (bits quânticos) e opera somente a temperaturas extremamente baixas a fim de não ser danificado. De acordo com o fabricante, o D-Wave 2X pode operar a uma temperatura máxima de 15 milikelvin — traduzindo para a nossa medida de temperatura, isso significa mais ou menos -237ºC. Para se ter uma ideia do frio extremo, tal temperatura é cerca de 180 vezes menor do que aquela encontrada no espaço interestelar.

Computação quântica na solução de problemas

Executivos da D-Wave destacaram que a parceria significa um marco na história da computação quântica. “O novo acordo é o maior negócio da história da D-Wave e indica a importância da computação quântica e da sua evolução como solucionador de problemas difíceis até mesmo para os maiores supercomputadores”, destaca o CEO da companhia, Vern Brownell.

Mas esta não é a primeira vez em que equipamentos da D-Wave são utilizados pelo laboratório criado em conjunto por Google, NASA e USRA. Desde 2013, o Quantum Artificial Inteligence Lab vinha utilizando o D-Wave Two, espécie de primeira geração do processador, com 500 qubit.

D-Wave 2X

Processador quântico da D-Wave. (Foto: Divulgação/D-Wave Systems)

“Trabalhar com os processadores D-Wave nos ajudou muito a desenvolver e afinar os modelos de anelamento quântico”, afirmou o diretor de engenharia do Google e chefe do Quantum Artificial Intelligence Lab, Hartmut Neven. “Estamos ansiosos para os avanços contínuos vindos de cada geração dos sistemas D-Wave”, complementa.

As universidades também aproveitam essa interação para incrementar suas pesquisas. “Nossa colaboração com Google e NASA permite à comunidade universitária acessar as áreas mais avançadas das pesquisas em computação da atualidade — a computação quântica”, comenta o diretor da USRA, David Bell. “Na USRA, nós estamos animados para ver a diversidade de pesquisas resultadas a partir do uso de cada geração dos sistemas D-Wave por universidades e organizações de pesquisas ao redor do mundo”, afirma.

Fonte: D-Wave Systems