Fóssil de dinossauro que morreu no dia do impacto do asteroide é encontrado

Fóssil de dinossauro que morreu no dia do impacto do asteroide é encontrado

Por Augusto Dala Costa | Editado por Luciana Zaramela | 07 de Abril de 2022 às 14h53
Ben Jacobson/CC-BY-2.5

Cientistas da University of Manchester descobriram, no estado americano da Dakota do Norte, um fóssil notável: é a perna muito bem preservada de um Thescelosaurus neglectus, que contém até mesmo restos da pele do dinossauro. O grande diferencial é que ela pode ser datada para o dia exato em que o meteoro Chicxulub atingiu a península de Yucatán, há 66 milhões de anos.

O local das escavações é Tanis, que fica na formação geológica de Hell Creek, famosa por ser rica em fósseis do Cretáceo superior e Paleoceno inferior. Quem está conduzindo o trabalho é Robert DePalma, estudante da University of Manchester. O sítio arqueológico se localiza a 3.000 km do Golfo do México, onde o asteroide que extinguiu a maior parte da vida na terra à época em que caiu.

O tescelossauro foi um herbívoro bípede do Cretáceo, cujos fósseis são encontrados na América do Norte atualmente (Imagem: 	ケラトプスユウタ/CC-BY-SA-4.0)
O tescelossauro foi um herbívoro bípede do Cretáceo, cujos fósseis são encontrados na América do Norte atualmente (Imagem: ケラトプスユウタ/CC-BY-SA-4.0)

Fóssil dos sonhos

Phillip Manning professor de história natural na University of Manchester, fez comentários em um programa de rádio da BBC sobre a descoberta, animado e até mesmo bem-humorado: "É uma doideira. É a coxinha de dinossauro suprema. A resolução temporal que conseguimos a partir desse sítio vai além dos nossos sonhos mais loucos. Isso nem deveria existir, é inacreditavelmente bonito".

O que permite colocar um pino temporal tão preciso no fóssil é a presença de escombros do impacto do asteroide, que só caíram no planeta após o contato imediato — o que significa que o dino morreu precisamente no dia em que o Chicxulub apareceu na Terra. A datação que esses detritos permitem é mais precisa do que a feita com carbono-14, comumente utilizada para descobrir a origem temporal de objetos.

Além da perna de tescelossauro, a equipe também encontrou os restos fossilizados de uma tartaruga perfurada por uma estaca de madeira, pequenos mamíferos e suas tocas, pele de tricerátops, um embrião de pterossauro dentro do ovo e o que se acredita ser um fragmento do próprio asteroide que impactou o planeta. Diretamente ligado ao impacto também estão os restos de um peixe que aspirou escombros gerados pela colisão, encontrado pela equipe no local.

Fóssil de um tescelossauro com amostras de pele, como o encontrado em Tanis. Esse está no Museum of the Rockies, Bozeman, Montana, EUA (Imagem: Tim Evanson/CC-BY-SA-2.0)
Fóssil de um tescelossauro com amostras de pele, como o encontrado em Tanis. Esse está no Museum of the Rockies, Bozeman, Montana, EUA (Imagem: Tim Evanson/CC-BY-SA-2.0)

A escavação vinha sendo filmada para um documentário da BBC, chamado Dinossauros: O Dia Final (Dinosaurs: The Final Day), narrado por Sir David Attenborough, famoso naturalista, ambientalista, apresentador e locutor britânico de programas de divulgação científica. Narrando o encontro do tescelossauro, ele disse: "É um fóssil impossível". A equipe, bem-humorada, concorda, já que o achado é realmente sem precedentes na história da arqueologia.

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.