Dinossauro descoberto no Chile tinha cauda afiada que parecia arma de tortura

Dinossauro descoberto no Chile tinha cauda afiada que parecia arma de tortura

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 08 de Dezembro de 2021 às 16h36
Ilustração: Lucas Jaymez

Ao analisar o fóssil de um dinossauro com armadura que viveu há mais de 70 milhões de anos, no final do período Cretáceo, e que foi encontrado no Chile, pesquisadores descobriram uma característica peculiar que não havia sido percebida antes: os detalhes da cauda.

Segundo os cientistas, a criatura batizada de Stegouros elengassem conta com detalhes que mais parecem facas na estrutura da cauda, sendo a sua principal forma de defesa e de ataque aos inimigos. Essa característica tão única era formada por sete pares de ossos fundidos.

Sergio Soto Acuña, principal autor do estudo, explica que o dinossauro tinha a cabeça proporcionalmente grande, além de um focinho estreito e com bico. "No entanto, a característica mais notável é a arma na cauda: a metade posterior é envolvida por uma estrutura feita de placas ósseas fundidas que dão à cauda uma aparência estranha", explica.

O dinossauro de dois metros de comprimento recebeu esse nome devido ao resto de seu corpo ser parecido com o de dinossauros do gênero Estegossauro. Em análise posterior de DNA e de um exame craniano, os pesquisadores descobriram que a criatura era mais próxima de um grupo chamado Anquilossauro, mas mesmo assim decidiram manter o nome.

Acuña diz que a descoberta muda radicalmente o que pensávamos sobre a evolução deste tipo de dinossauro no hemisfério sul. "Nossos resultados mostram que eles não eram simples eventos de dispersão dos Anquilossauros do norte, mas sim um ramo muito antigo de Anquilossauros primitivos que evoluíram quando isolados de outros dinossauros de armadura", completa o pesquisador.

Fonte: CNET, Nature

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.