Saiba como visitar museus virtuais de ciências no Brasil

Saiba como visitar museus virtuais de ciências no Brasil

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 14 de Junho de 2021 às 09h25
Captura de Tela/Google Arts & Culture

Desde o início de 2020, a pandemia de COVID-19 impôs uma série de restrições em todo o planeta. Com isso, não apenas nos distanciamos socialmente, como também deixamos de frequentar muitos lugares que alimentavam outros de nossos interesses, como os museus de ciência, por exemplo. Apesar disso, a tecnologia permitiu que algumas dessas instituições se adaptassem às novas condições de distanciamento. Nesse caso, algumas pessoas passaram a visitar os museus de ciência virtualmente, no conforto e segurança de seus lares. Algumas dessas iniciativas já existiam antes mesmo desse confinamento, mas, por conta dele, acabaram ampliando seus espaços virtuais.

Segundo o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), existem cerca de 3.505 museus registrados em todo o Brasil, com os temas mais diversos. É claro que nada substitui uma visita física, mas, enquanto seguimos nessa situação de pandemia — ou simplesmente por querer se manter em casa —, listamos alguns museus de ciência com visitas virtuais. Entre eles, há plataformas que permitem um passeio completo por dentro das instalações e outros com visitas guiadas, mas todos promovendo o conhecimento científico.

Visitas virtuais aos corredores de museus brasileiros

Alguns museus possuem suas estruturas montadas em plataformas digitais que permitem um passeio virtual em 360º por dentro e, em alguns casos, também por fora da instituição. No entanto, nem sempre esses espaços oferecem recursos extras de navegação, como áudio ou detalhes sobre o acervo, mas todos garantem a navegação pelas instalações.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Museu Nacional do Rio de Janeiro

A plataforma do Google permite que o visitante navegue pelas instalações do Museu Nacional (Imagem: Captura de Tela/Google Arts & Culture)

O Museu Nacional, localizado no Rio de Janeiro, é a mais antiga instituição científica do Brasil, vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e, até setembro de 2018, foi um dos maiores museus de história natural e de antropologia de todas as Américas. Nesse mesmo ano, o museu completou 200 anos, mas infelizmente um acidente provocou um grande incêndio, levando à perda de inúmeras obras e peças históricas. Entre seu vasto acervo, de mais de 20 bilhões de itens, havia registros brasileiros de diversas áreas do conhecimento, como ciências naturais e antropológicas.

Mas o Museu Nacional foi preservado virtualmente — e navegar na plataforma é simples. Todos os prédios foram mapeados por dentro e por fora e montados no Google Arts & Culture, que abriga uma série de outros museus e galerias de forma virtual. No entanto, a visita é semelhante ao navegador de mapas, onde é possível passear por dentro das galerias e observar o acervo, mas a plataforma não fornece informações sobre as obras. Para isso, é necessário acessar outra área do aplicativo, responsável por catalogar e detalhar informações sobre os vários itens do museu — lembrando que muito deles, infelizmente, se perderam com o incêndio de 2018.

Para navegar por dentro do Museu Nacional, basta clicar aqui. Para explorar o acervo do museu, clique aqui.

Museu do Amanhã

(Imagem: Captura de Tela/Museu do Amanhã)

Inaugurado em dezembro de 2015 no Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã chama atenção no mundo todo. É um museu de ciências aplicadas que procura explorar e promover as oportunidades e desafios que a humanidade precisará enfrentar nos próximos anos, levando em consideração conceitos importantes como sustentabilidade. Em seu acervo fixo, o museu apresenta temas como o cosmos, o planeta Terra e a era geológica chamada antropoceno, na qual nos encontramos hoje em dia.

A visita virtual ao Museu do Amanhã oferece uma experiência mais completa. Além de ser possível caminhar tanto por dentro quanto por fora de suas instalações, a plataforma oferece um menu com todos os temas das exposições fixas e temporárias do museu — o que já orienta bastante a navegação. Como recursos, o visitante pode, por exemplo, pausar os conteúdos interativos das galerias ou até mesmo ativar o modo de narração, onde um especialista explica mais detalhes sobre aquela determinada exposição.

Acesse virtualmente o Museu do Amanhã clicando aqui.

Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo

(Imagem: Captura de Tela/Tour360/MZUSP)

O Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP) é um dos museus públicos mais antigo do Brasil. Fundado em 1890, na cidade de São Paulo, o MZUSP tem um dos maiores acervos de história natural da América Latina, estimado em mais de 8,5 milhões de espécies preservadas, como anfíbios, mamíferos, insetos e até mesmo moluscos.

O passeio virtual ao MZUSP acontece em uma plataforma que proporciona, assim como outras instituições, um passeio de 360º por dentro e fora das instalações do museu. Os temas das exposições fixas são organizados e apresentados em um menu. Ao selecionar um deles, uma galeria daquela exposição se abre e, ao clicar em uma dar imagens, o visitante é imediadamente levado até ela. As informações de cada uma das peças também pode ser acessada durante a exploração das galerias.

Para navegar pelo museu, acesse aqui.

Museu Oceanográfico Univali

Alguns ambientes permitem o uso de óculos em 3D (Imagem: Captura de Tela/Tour360)

Fundado em 1987, o Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), ou MOVI, fica localizado em Balneário Piçarras, em Santa Catarina. É considerado o maior museu deste tema entre todas as Américas e o terceiro maior do mundo. Seu acervo é composto por mais de 200.000 peças e exposições e, pelo menos 1% dele, oferece ao visitante um vislumbre da biodiversidade marinha brasileira.

A visita virtual ao MOVI é bem parecida com a do Museu Nacional que, embora permita ao visitante explorar em 360º as instalações do museu, não apresenta nenhum tipo de recursos adicionais, como informações sobre as peças em exposição. No entanto, o passeio pode ser realizado por dentro de todas as galerias. Para acessar as galerias fixas do museu, é necessário acessar outra página da instituição.

Para navegar pelo museu, basta clicar aqui, e, para o acervo, clique aqui.

Visitas virtuais a exposições de museus brasileiros

Nem todos os museus de ciências possuem uma plataforma de visitas virtuais, como é o caso destes abaixo. Apesar disso, essas instituições disponibilizam acesso aos seus acervos ou até mesmo se apresentam como museus virtuais, ou seja, criados para o mundo digital (e não apenas adaptados para ele).

Museu de Astronomia e Ciências Afins

(Imagem: Captura de tela/MAST)

O Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) é uma instituição pública voltada para a divulgação da história da ciência e da tecnologia no país. Criado em março de 1985, em São Cristóvão, Rio de Janeiro, o MAST também funciona como uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e abriga o importante acervo do Observatório Nacional.

Embora não apresente uma plataforma de passeio por dentro do museu, o MAST oferece acesso a algumas de suas exposições físicas, como A química a história do Universo, da Terra e do corpo, a qual aborda a ciência da transformação da matéria.

Acesse ao portal clicando aqui.

Museu Virtual de Ciência e Tecnologia da Universidade de Brasília

(Imagem: Captura de Tela/Museu Virtual/UnB)

O Museu Virtual de Ciência e Tecnologia da Universidade de Brasília foi criado em 2006 com o objetivo de tornar a ciência acessível para professores e alunos do Distrito Federal, em particular. Desde então, tem se aproximado de seu público através dos conteúdos científicos produzidos pela universidade.

O espaço virtual apresenta ao visitante as exposições fixas, as quais passam por temas como a Antártida e até a vida de insetos e, ao acessar alguma delas, uma série de explicações são oferecidas. O museu virtual também possui sessões voltadas para outras áreas do conhecimento, como sismologia ou geociências.

Para acessar o portal, basta clicar aqui.

Museu do Cerrado Virtual

(Imagem: Captura de Tela/Museu do Cerrado)

O cerrado é considerado o maior bioma brasileiro — 22% do território nacional — e só perde em área para a Amazônia. Gerido pela Universidade de Brasília (UnB), o Museu do Cerrado Virtual visa divulgar não apenas os conhecimentos científicos, mas também os saberes populares do rico Sistema Biogeográfico do Cerrado.

Apesar de simples, a plataforma oferece ao visitante acesso a conteúdos em vários temas, entre eles a biodiversidade, a cultura e até mesmo a paleontologia.

Navegue pela plataforma clicando aqui.

Visitas virtuais guiadas

Outra maneira de realizar uma visita virtual aos museus de ciência é através dos conteúdos disponibilizados em vídeos pelas próprias instituições. Nesse caso, o visitante não tem autonomia em seu passeio; no entanto, pode assistir a uma visita guiada por especialistas do próprio museu.

Museu do Catavento

(Imagem: Captura de Tela/Museu do Catavento)

Inaugurado em 2009 na cidade de São Paulo, o Museu Catavento é um espaço interativo totalmente dedicado à ciência e sua divulgação. Através de suas mais de 250 instalações, o museu aborda temas relacionados a vida, engenho, universo e sociedade.

Para assistir às visitas guiadas a cada uma das exposições do Museu do Catavento, basta acessar a série Por Dentro do Catavento, no canal da instituição no YouTube. Lá, o visitante tem acesso 22 episódios com um rico conteúdo explicado pela equipe do museu, além de um passeio por dentro de todas as estruturas dele.

Acesse o canal clicando aqui.

Museu do Universo

(Imagem: Captura de Tela/Planetário do Rio)

Conhecido como o Planetário da Gávea, ou Planetário do Rio de Janeiro, o Museu do Universo foi inaugurado em 1970. É um museu totalmente dedicado ao tema da astronomia.

A visita virtual segue a mesma lógica de vídeos do Museu do Catavento. Através do site do planetário, o visitante tem acesso a uma série de vídeos que apresentam as principais estruturas do museu e oferecem explicações apresentadas pelos especialistas da casa.

Para acessar o menu de temas, basta clicar aqui.

Fonte: Ibram

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.