Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Cães podem ter uma consciência impressionante sobre si mesmos, sugere estudo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 17 de Março de 2022 às 09h40

Link copiado!

twenty20photos/envato
twenty20photos/envato

Pesquisadores húngaros investigaram se cães têm algum nível de consciência sobre o próprio corpo e se surpreenderam com os resultados. No senso comum, dificilmente este tipo de habilidade é considerada entre os cachorros, afinal, eles não conseguem se reconhecer na frente do espelho, por exemplo.

Publicado na revista Scientific Reports, o estudo sobre a capacidade de consciência corporal dos cachorros foi desenvolvido por pesquisadores da Eötvös Loránd University (ELTE), na Hungria. Na pesquisa, foi possível observar que eles conseguem entender o corpo como um obstáculo em determinados desafios e circunstâncias.

Consciência corporal em animais

Continua após a publicidade

"Esta é a primeira evidência convincente de consciência corporal através da compreensão da consequência das próprias ações em uma espécie", afirmam os pesquisadores sobre as descobertas a respeito dos cães.

Vale explicar que a consciência sobre si é a capacidade de pensar no corpo como um objeto e que pode ter impacto na relação com outros objetos ao seu redor. Normalmente, crianças levam cerca de 18 meses para desenvolverem este tipo de percepção.

Entenda o estudo sobre o nível de consciência de cães

Os pesquisadores selecionaram 32 cães de várias raças e tamanhos. No experimento, animal precisava pegar — ou morder — um brinquedo e levá-lo ao tutor, mas a atividade não era tão simples quanto costuma ser. Isso porque o objeto estava preso por uma corda no tapete, onde o cão estava sentado. Para pegá-lo, era então necessário sair da esteira.

Os resultados do teste foram comparados com o que acontece quando o brinquedo está solto e quando está fixado no solo. Neste último caso, “quando os cães tentaram pegar o alvo, isso foi novamente impossível; no entanto, os cães não sentiram uma força de elevação paralela sob seus pés”, detalham os autores do estudo.

Como não captavam o "puxão" embaixo deles, os cães não saíram tão rápido do tapete. Os pesquisadores sugerem que eles entenderam que a posição deles não era o problema para aquele desafio. Esta compreensão aponta para o nível de consciência sobre o seu corpo, afinal souberam entender quando um corpo era o obstáculo e quando existia um outro obstáculo externo.

“Argumentamos que a resposta dos cães no teste principal pode ser explicada com base em sua consciência corporal e na compreensão das consequências de suas próprias ações”, completam os autores. Agora, o desafio é entender qual é o nível e os limites desse tipo de autoconsciência.

Continua após a publicidade

Fonte: Scientific Reports e ScienceAlert