Tesla se pronuncia (e se defende) sobre acidente fatal com um Model X

Por Ramon de Souza | 28 de Março de 2018 às 14h25
Tudo sobre

Tesla

A Tesla, famosa montadora de carros elétricos, finalmente resolveu se pronunciar a respeito do acidente fatal ocorrido na última sexta-feira (23) com um Model X, um de seus modelos atualmente disponíveis no mercado. Em um texto publicado em seu blog oficial, a companhia afirma que está colaborando com as investigações do Comitê Nacional de Segurança de Transportes dos Estados Unidos. A principal dúvida das autoridades é se o automóvel estava com o recurso piloto automático ativo.

A própria marca ressalta que ainda não se sabe muito a respeito do que teria causado o trágico episódio, mas realizou algumas constatações interessantes. Primeiramente, a empresa descobriu que a barreira de proteção de ferro com a qual a vítima colidiu teve seu tamanho reduzido dias antes do acidente, o que facilitou o choque fatal do veículo com a mureta de concreto. Uma imagem divulgada compara o tamanho da barreira anos atrás e no dia anterior ao ocorrido.

“Nossos dados mostram que donos de carros Tesla já dirigiram nesse mesmo trecho da rodovia com o recurso Autopilot ativo mais de 85 mil vezes desde que ele foi inaugurado em 2015, e nunca registramos um acidente lá”, explica a montadora. “São feitas ao menos 200 viagens em piloto automático por dia nessa exata região de rodovia”. Na teoria, com tanta “experiência” assim, o sistema devia ter aprendido a lidar com tal área, o que supostamente evitaria um erro mais grave.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Comparação da barreira de proteção (Reprodução: Tesla)

A empresa também comentou sobre as alegações de que a bateria elétrica do Model X teria agravado o acidente, incendiando o carro com maior rapidez. “As baterias da Tesla são projetadas para que, nas raras circunstâncias em que elas possam pegar fogo, ele se espalhe lentamente para que os ocupantes tenham tempo o suficiente para sair do carro”, explicou a marca, ressaltando que o motorista foi retirado do veículo antes que as chamas atingissem o assento do piloto.

O que aconteceu?

No manhã do dia 23 de março, a vítima identificada como Wei Huang, de 28 anos, dirigia seu Model X pela estrada Highway 101, rumo ao norte da Califórnia. Por causas ainda desconhecidas, o SUV perdeu o controle e atingiu uma mureta que separa duas vias de tráfego. Algumas testemunhas afirmam que o carro se transformou em “uma bola de fogo”, e, embora Huang tenha sido retirado com vida de dentro do automóvel, não resistiu aos ferimentos e veio a falecer no hospital.

De acordo com a Tesla, ainda não foi possível recuperar o computador de bordo do Model X em questão justamente por causa do grave nível de destruição do carro — fotos divulgadas por internautas no Twitter mostram que o veículo ficou carbonizado, com poucas de suas peças ainda conservadas.

Fonte: Tesla

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.