Panasonic se oferece para adiantar investimento na Tesla Motors

Por Redação | 20.05.2016 às 14:50

A Panasonic anunciou nesta sexta-feira (20), em uma apresentação de resultados para a imprensa, que está disposta a adiantar seu investimento na fábrica de baterias para os carros da Tesla Motors. A empresa japonesa e a montadora norte-americana fecharam, no início do ano, uma parceria para a construção de uma megafábrica para produção de baterias, que alavancarão a produção de carros elétricos ao longo dos próximos anos.

O grande motivo para essa movimentação toda é o Model 3, veículo que está sendo vendido pela Tesla em um sistema de pré-vendas e tem lançamento previsto para o ano que vem. Foi justamente essa mecânica, iniciada antes mesmo de a montadora chegar a um design final para o veículo e exigindo um “sinal” de US$ 35 mil, que levou à necessidade de investimentos. De acordo com os números oficiais, apenas em sua primeira leva, a empresa deve ser capaz de entregar mais de 370 mil carros.

É claro que não apenas a Tesla, mas também os parceiros envolvidos na criação do Model 3, estão animados. O diretor do departamento de sistemas industriais e automotivos da Panasonic, Yoshio Ito, afirmou que os acionistas concordaram em adiantar o investimento e modificar a forma de entrega, caso seja necessário. No acordo, a empresa japonesa entraria com US$ 1,6 bilhão dos US$ 5 bilhões necessários para construção da fábrica, com o dinheiro sendo pago em parcelas ao longo dos próximos dois anos.

As declarações de Ito também vão ao encontro das previsões da própria Tesla, que já admitiu que não será capaz de entregar todos os carros encomendados já no ano que vem, seguindo pela ordem de interessados de acordo com a disponibilidade. Entretanto, a montadora tem um ambicioso plano de, entre sua megafábrica de baterias e também unidades de produção e montagem nos Estados Unidos e na China, chegar a uma produção de 500 mil unidades do Model 3 até o final de 2018. Analistas afirmam que tal potencial é bastante improvável, e é justamente por isso que a companhia precisa de toda ajuda que puder obter.

Para a Panasonic, esta é uma ideia altamente interessante. Diante das dificuldades do mercado de eletrônicos, com margens cada vez menores, a empresa já anunciou um foco renovado no setor automotivo. Ela quer ver o segmento representando 20% de seus resultados globais até 2019, dobrando a capacidade atual e atingindo um faturamento de US$ 18,2 bilhões.

São planos que colocam a Panasonic lado a lado da Tesla, que está planejando suas primeiras expansões internacionais a partir do ano que vem, o que inclui até mesmo uma possível chegada oficial ao Brasil. A montadora, entretanto, não respondeu publicamente à oferta da parceira, mas, com certeza, estará em negociações em breve para rever o andamento do investimento e uma aceleração na abertura de sua fábrica de baterias, que deve começar a operar ainda neste ano.

Fonte: Reuters