Motorista provavelmente estava ao volante em acidente fatal com carro Tesla

Motorista provavelmente estava ao volante em acidente fatal com carro Tesla

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 11 de Maio de 2021 às 19h30
Divulgação/Tesla

Ocorrido em abril deste ano, um acidente fatal relacionado a um carro Tesla Model S deixou muitas pessoas preocupadas sobre a segurança oferecida pelos controles automáticos desenvolvidos pela fabricante. No entanto, investigações conduzidas pelo Conselho Nacional de Segurança de Transporte dos Estados Unidos (NTSB) mostram que a situação provavelmente está associada a um erro do motorista, e não ao software da fabricante.

O NTSB afirma que gravações de segurança mostram que dois homens estavam presentes no veículo no momento em que ele saiu da garagem: um ao volante e outro no assento do passageiro. Embora não haja comprovação de que o motorista deixou seu assento durante o trajeto, as investigações indicam que ele provavelmente permaneceu em sua posição inicial.

O acidente aconteceu no dia 17 de abril no condado de Harris, região próxima ao norte de Houston, Texas. O veículo percorreu cerca de 160 metros em alta velocidade antes de escapar da pista e colidir com uma árvore, o que iniciou um incêndio que destruiu totalmente o automóvel e resultou na morte de seus dois ocupantes.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Divulgação/Tesla

Inicialmente, autoridades afirmaram que o motorista não estava em seu assento no momento do acidente, dado refutado por Elon Musk, CEO da Tesla. Segundo os dados obtidos pela empresa a partir dos computadores presentes no carro, o sistema de direção automática não estava ligado, embora o sistema de Cruise Control — que não garante autonomia ao veículo — estivesse.

O sistema de piloto automático dos Teslas é configurado para se desligar automaticamente ao perceber que não há ninguém no volante ou quando mãos humanas não o tocam por períodos superiores a 10 segundos. Além disso, ele depende da existência de faixas de asfalto para ser ligado, elemento inexistente no local do acidente. Musk também argumentou que o comprador não adquiriu o sistema Full Self-Driving (FSD), que garante autonomia aos veículos mediante um pagamento adicional de US$ 10 mil.

O NTSB afirma que a investigação ainda está em andamento e que o relatório emitido não representa necessariamente a versão final dos fatos. A entidade continua a analisar as informações obtidas a partir do módulo de controle do Model S e afirma que a Tesla tem cooperado ativamente com suas investigações.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.