Huawei estaria se preparando para lançar carros elétricos com a sua marca

Por Rui Maciel | 26 de Fevereiro de 2021 às 14h10

Se as sanções dos EUA vêm impactando seus negócios em telecomunicações, a Huawei já pensa em explorar outras áreas promissoras. Isso porque a empresa chinesa planeja fabricar carros elétricos (EVs) com a sua própria marca. E pode lançar alguns modelos já nesse ano.

Segundo informações da agência de notícias Reuters, a Huawei está em negociações com a estatal Changan Automobile e outras montadoras para usar suas fábricas produzir de seus veículos elétricos. A companhia também está conversando com o BluePark New Energy Technology, uma companhia do BAIC Group e que é apoiado pelo governo chinês.

A Huawei começou a projetar internamente os veículos elétricos e abordar fornecedores dentro da China, com o objetivo de lançar oficialmente o projeto já neste ano, disseram três das fontes ouvidas pela Reuters. Richard Yu, chefe do grupo de negócios de consumo da fabricante - e que levou a empresa a se tornar uma das maiores fabricantes de smartphones do mundo - mudará seu foco para EVs, que têm como alvo um segmento de mercado de massa dentro do país asiático.

Projeto vem de longe

A Huawei vem desenvolvendo uma gama de tecnologias para carros elétricos há anos, incluindo sistemas de software para automóveis, sensores para automóveis e hardware de comunicação 5G. Inclusive, ela acelerou a contratação de engenheiros para tecnologias relacionadas a automóveis desde 2018.

Richard Yu: depois dos smartphones, ele estaria comandando a entrada da Huawei no setor automotivo (Foto: Huawei) 


A companhia recebeu, pelo menos, quatro patentes relacionadas a EVs esta semana, incluindo métodos de carregamento entre veículos elétricos e para verificar a integridade da bateria, de acordo com registros de patentes oficiais chineses.

A entrada da Huawei no mercado de carros elétricos está, inicialmente, funcionando separadamente de suas outras operações. Para isso, ela formou uma empresa conjunta de veículos inteligentes, cofundada com a montadora Changan e a fabricante de baterias EV CATL em novembro do ano passado.

A empresa também formou parcerias com fabricantes de automóveis como Daimler AG, General Motors Co e SAIC Motor para desenvolver conjuntamente tecnologias automotivas inteligentes.

Concorrência contra outras techs

Os ambiciosos planos da Huawei de fabricar seus próprios carros farão com que ela se junte a uma série de empresas asiáticas de tecnologia que fizeram anúncios semelhantes nos últimos meses. Isso inclui as gigantes Baidu e a Foxconn.

“As novas e complicadas restrições dos EUA aos semicondutores para a Huawei têm lentamente estrangulado a empresa”, disse Dan Wang, analista de tecnologia da empresa de pesquisas Gavekal Dragonomics. “Portanto, faz sentido que a empresa esteja mudando para setores com menos consumo de chips com o objetivo de manter as operações.”

O plano anuncia uma mudança significativa na direção da Huawei após quase dois anos de sanções dos EUA ,que cortaram seu acesso às principais cadeias de abastecimento, forçando-a a vender uma parte de seu negócio de smartphones para manter a marca viva.

A Huawei foi colocada em uma lista suja do Departamento de Comércio da administração Trump por questões de segurança nacional. Muitos executivos do setor veem como remotas as chances de que o governo de Joe Biden reverta as sanções que impedem a venda de tecnologias e componentes para que a empresa volte a fabricar seus smartphones.

Nos Estados Unidos, Amazon, Alphabet (controladora do Google) e Apple também estão desenvolvendo tecnologia relacionada a automóveis ou investindo em startups de carros inteligentes.

Carro autônomo da Waymo, empresa controlada pelo Google: Big Techs também estão na corrida deste setor (Foto: Waymo)


Contatado pela Reuters, um porta-voz da Huawei negou que a empresa planeja projetar carros elétricos com a sua marca. Segundo ele, "a Huawei não é uma fabricante de automóveis. No entanto, por meio de ICT (sigla em inglês para "Tecnologia de informação e comunicação"), pretendemos ser um fornecedor digital de componentes novos e orientados para carros, permitindo que as OEMs construam veículos melhores.”

Mercado de EVs em crescimento na China

As empresas chinesas de tecnologia têm intensificado seu foco em carros elétricos no maior mercado mundial para esses veículos. O governo do país asiático vem promovendo fortemente veículos mais ecológicos como meio de reduzir a poluição crônica do ar.

As vendas dos chamados "veículos de energia nova" (NEVs na sigla em inglês) - que incluem carros elétricos com bateria pura, híbridos plug-in e modelos com célula de combustível a hidrogênio - devem representar 20% das vendas anuais de automóveis na China até 2025. As previsões da indústria colocam as vendas do NEV no país em 1,8 milhão de unidades este ano, ante cerca de 1,3 milhão em 2020.

Contatadas pela Reuters, a Changan, que está fabricando carros com a Ford Motor Co, não quis comentar. O BAIC BluePark também não respondeu aos pedidos de um posicionamento.

As ações da principal companhia listada da Changan, a Chongqing Changan Automobile, subiram 8% depois que a Reuters divulgou as negociações em curso. Já os papeis da BluePark saltaram a 10%, seu limite máximo diário de valorização.

Leia também:

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.