Erro humano e falha em sistema levaram a acidente com Tesla nos EUA

Por Felipe Demartini | 05 de Setembro de 2019 às 11h30
Motor1
Tudo sobre

Tesla

Saiba tudo sobre Tesla

Ver mais

Uma mistura de negligência e falha no sistema, mais uma vez, foi apontada como a causa para um acidente envolvendo um veículo da Tesla Motors. O caso aconteceu no dia 22 de janeiro do ano passado, em Culver City, região metropolitana de Los Angeles, onde um Model S colidiu com um caminhão dos bombeiros que estava estacionado em uma autoestrada.

De acordo com a Organização Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB, na sigla em inglês), o motorista do veículo não encostou no volante durante os 30 minutos anteriores à colisão, algo que não é recomendado durante o uso da função de pilotagem automática. Por outro lado, o sistema também não ativou o sistema de frenagem de emergência ao detectar o obstáculo, apesar de ter emitido um alerta ao usuário cerca de 0,49 segundos antes da batida. Felizmente, o acidente não gerou vítimas e o motorista saiu ileso.

O caminhão de bombeiros estava estacionado em uma das vias laterais da autoestrada, atendendo a outro acidente, ocorrido minutos antes. O veículo estava com as luzes de alerta ligadas, assim como outras unidades policiais também presentes no local, quando foi atingido a cerca de 50 quilômetros por hora pelo Model S.

O relatório também aponta para uma desatenção do motorista, que não tentou frear ou desviar após ser alertado sobre o obstáculo. Sobre a ausência de frenagem automática, a NTSB afirma que não houve tempo para que o sistema tomasse uma atitude, uma vez que o Tesla seguia na autoestrada atrás de um veículo e somente notou o caminhão de bombeiros quando o carro à frente seguiu para a faixa ao lado.

Os dados gerais da viagem também apontam negligência do motorista. De acordo com as informações, o sistema de pilotagem automática permaneceu ativado por mais de 29 minutos, sendo que as mãos do usuário foram detectadas ao volante somente durante 78 segundos desse total. Ele teria, inclusive, ignorado alertas do próprio carro para que mantivesse a atenção à direção.

A Tesla não se pronunciou oficialmente sobre o relatório da NTSB, mas anteriormente, já negou ter responsabilidade sobre acidentes com o sistema de pilotagem automática, nos quais o motorista não manteve as mãos ao volante e atenção ao trânsito. Segundo a empresa, a ideia da tecnologia é dar mais conforto em viagens longas e vias bem sinalizadas, e não entregar uma plataforma de direção autônoma.

Fonte: NTSB

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.