Entenda como funcionam as blockchains

Por Andressa Neves | 21 de Maio de 2018 às 10h26

No último ano tem se falado muito em criptomoedas e, por consequência, em blockchain. Apesar de o assunto estar em alta, as definições técnicas do assunto têm dificultado o acesso do público à tecnologia. Como as blockchains são a promessa de um futuro próximo como soluções financeiras e governamentais, vale a pena entender o seu funcionamento. 

O que é blockchain?

A blockchain nasceu em 2008, sendo construída como a base do bitcoin, a criptomoeda mais popular do mundo. Basicamente, a blockchain é uma plataforma capaz de registrar transações de forma descentralizada. Com registros em diferentes computadores, a "cadeia de blocos" identifica o envio e recebimento de moedas virtuais.

Tudo isso é possível porque todas as transações feitas na blockchain ficam armazenadas em blocos. Por sua vez, os blocos são ligados uns aos outros por elos, chamados de "hash". A somatória desses elos com os blocos formam a cadeia, garantindo o funcionamento do sistema de registros seguros das transações realizadas por criptomoedas.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em outras palavras, as blockchains funcionam como uma plataforma contábil. Através de criptografia robusta, as cadeias validam as operações feitas virtualmente. A grande diferença para o sistema de um banco, por exemplo, é que os registros feitos pela blockchain são armazenados em milhões de computadores, evitando fraudes e gastos duplos com uma mesma criptomoeda.

Atuando como um Livro Razão, onde ficam todos os registros contabilísticos de uma empresa, as blockchains têm a vantagem de permanecerem compartilhadas publicamente com os participantes do sistema.

Segurança

Todo o interesse de investir em blockchains não existe à toa. Como qualquer transação feita no sistema só é validada quando o bloco inteiro é preenchido pelas operações, as moedas chegam ao destino correto e as transações feitas anteriormente não podem ser alteradas. Além disso, cada bloco é fechado com criptografia, formando uma corrente de registros praticamente impossível de ser alterada.

Áreas de atuação das blockchains

As aplicações financeiras das blockchains são, hoje, as mais exploradas. Seu sistema descentralizado tem despertado o interesse de instituições financeiras para o registro de títulos, armazenamento de contratos, privacidade de dados de clientes e rastreamento de transações.

Apesar de as blockchains serem utilizadas principalmente para o mercado financeiro, a cadeia também começou a chamar a atenção de governos e grandes empresas. Atualmente, há diversas pesquisas sendo feitas sobre as possíveis aplicações das blockchains. Para se ter dimensão do assunto, as etapas de envio de cargas agrícolas já começaram a ser registradas em blockchain.

Mesmo com todos esses benefícios, a tecnologia das blockchains ainda precisa superar alguns desafios. Entre as principais dificuldades para a ampla disseminação do sistema estão a sua regulamentação, o grande consumo de energia das máquinas, o custo de implantação e a confiança do público na novidade.

Seja como for, as blockchains já são realidade. A expectativa é de que nos próximos anos o mercado financeiro e corporativo passem a adotar a tecnologia, transformando diversos setores em escala mundial. 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.