10 dicas para você economizar dinheiro na Black Friday

Por Matheus Bigogno Costa | 21 de Novembro de 2020 às 10h00
Canaltech
Oferecimento

A Black Friday está cada vez mais próxima! A cada ano, o evento criado nos Estados Unidos ganha enorme visibilidade e popularidade no país, e se torna uma grande oportunidade para que as pessoas façam compras antes das festas de fim de ano.

Em 2020, a data já está marcada: acontecerá dia 27 de novembro. Mas, ela acontece anualmente toda sexta-feira seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro, quando é comemorado o Dia de Ação de Graças, feriado bastante celebrado nos países da América do Norte.

Dicas para economizar dinheiro na Black Friday

Desde sua implementação no Brasil em 2010, há registro de lojas físicas e virtuais que realizaram o evento, porém, 2020 foi um ano bastante atípico por conta da pandemia da COVID-19. Isso pode fazer com que muitos consumidores optem por fazer suas compras através de e-commerce.

Além da alta do dólar, outro problema sério que o consumidor pode enfrentar são algumas lojas que acabam atuando de má-fé, e aumentam o preço dos produtos dias ou semanas antes da Black Friday e abaixam no dia, alegando descontos inexistentes.

Nesta época do ano os consumidores devem ficar muito atentos a compras virtuais, para evitar que não sejam lesados e não caiam em golpes. Pensando nisso, o Canaltech separou uma lista de 10 dicas para você economizar dinheiro na Black Friday. Confira abaixo!

1. Faça uma lista

Muitas lojas aderem ao evento da Black Friday, e, com isso, muitas promoções podem parecer muito tentadoras. Porém, é muito importante que você tenha em mente exatamente todos os produtos que precisa comprar e suas respectivas prioridades.

Se possível, inclua na lista produtos semelhantes como uma segunda opção, caso a primeira esgote. Fazer uma lista pode te ajudar a manter o foco quando for pesquisar e finalizar as suas compras, além de evitar surpresas indesejadas.

2. Estabeleça uma meta de gastos

Promoções são tentadoras, mas é sempre bom não deixar as coisas saírem do controle. Sabendo os produtos que almeja comprar e quais as prioridades com a lista, você pode ir já sondando o preço atual de cada um deles, para averiguar se eles vão se encaixar no seu orçamento.

Se possível, mantenha esta pesquisa prévia como seu teto de gastos e opte sempre por gastar menos que o estabelecido. Porém, caso haja uma oportunidade de ter um gasto extra, pondere a necessidade de comprar o produto em questão e o quanto esse gasto irá impactar nas suas contas.

3. Compare bastante os preços

Para não cair em falsos descontos, é interessante que você comece o quanto antes a fazer pesquisas e começar a comparar os preços. É possível fazer isso utilizando comparadores de preço, como a extensão do Google Chrome do Canaltech Ofertas, ou sites como Zoom e Buscapé.

Utilize comparadores de preço para avaliar possíveis variações nos últimos dias (Captura de tela: Matheus Bigogno/Canaltech)

Assim, você pode verificar se houve um aumento repentino no preço seguido de uma queda na semana do dia 27. E fique atento, algumas lojas como o Magazine Luíza expandiram o mesmo desconto que seria aplicado no dia 27 para o mês de novembro inteiro.

4. Não se esqueça do cashback

Muitas lojas virtuais passaram a oferecer um grande atrativo para os consumidores: o cashback — ou dinheiro de volta. Com ele, você pode receber de volta uma porcentagem do que gastou em um produto para utilizar em compras futuras ou até mesmo transformá-la em saldo da sua conta. No país, você consegue cashback nos apps da Magalu, do PicPay, da Ame Digital e outros.

5. Não se esqueça do frete

Viu um produto com um excelente desconto e com um preço que cabe no seu orçamento? Antes de finalizar a compra, faça o cálculo do frete. Existem casos que os produtos ofertados em sites podem não ser necessariamente vendidos ou entregues pelas próprias lojas, mas sim por terceiros.

Não se esqueça de consultar o valor do frete para não ter surpresas ao finalizar a compra (Captura de tela: Matheus Bigogno/Canaltech)

Às vezes, o centro de distribuição ou a localidade do vendedor pode ser muito distante da sua residência, o que faz com que o frete fique bastante caro. Portanto, inclua sempre o frete nos seus cálculos.

6. Cuidado com produtos muito baratos

A época da Black Friday é um prato cheio para golpes virtuais, lojas falsas com descontos quase impossíveis de serem aplicados na realidade. Para isso, é fundamental que, antes de realizar uma compra em uma loja que você nunca comprou antes, cheque a reputação dela.

Para isso, utilize o Reclame Aqui para pesquisar se a loja possui uma boa reputação e se responde às reclamações de seus clientes. Caso a reputação seja confiável e ainda assim você teve um problema, tente resolvê-lo, senão, abra uma reclamação no Procon.

7. Utilize cupons de desconto

Outra dica para quem quer economizar na Black Friday é conferir sites de cupons de descontos. Algumas páginas oferecem códigos que podem ser aplicados no ato da compra, que vão dar alguma taxa de desconto. Estes descontos podem cobrir gastos extras como frete, por exemplo.

Utilize sites de cupons de desconto para economizar mais ainda nas suas compras (Captura de tela: Matheus Bigogno/Canaltech)

Você pode encontrar excelentes cupons no Canaltech, MeuCupom, Pelando entre outros.

8. Fique atento nas redes sociais 

Uma boa prática para ter acesso a ofertas das lojas, é seguir os seus perfis no Facebook, Instagram e Twitter com semanas de antecedência em relação à Black Friday. Assim, você pode ficar sabendo de promoções que, às vezes, têm um curto prazo de validade.

9. Procure sobre as políticas de trocas e devoluções

Ninguém gostaria de devolver um produto comprado na Black Friday. porém, imprevistos acontecem e pode ser que você precise devolvê-lo ou trocá-lo. Além de pesquisar a reputação de uma loja, pesquise sobre as políticas de troca e devolução.

Trocas e devoluções estão previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC), porém, nem todo tipo de troca é assegurada pela lei. Existem casos que a substituição é uma cortesia da loja, portanto, fique atento a esse aspecto.

10. Evite agir por impulso

Para bater o martelo em uma compra, é preciso ter bastante sangue frio e evitar agir por impulso, pois, o barato pode realmente sair caro. Após fazer uma lista, estabelecer um teto de gastos, comparar os preços, considerar o cashback, o frete, cupons de descontos e ofertas relâmpago, é hora de avaliar o momento certo de comprar.

Feito isso, você terá uma visão melhor do cenário e finalizar uma compra sabendo que está fazendo um bom negócio.

A partir de agora, você pode utilizar estas dicas para se proteger e economizar na Black Friday. Tem mais alguma dica? Deixe nos comentários!

Esse conteúdo é um oferecimento Magalu.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.