Black Friday | Dicas para aproveitar os descontos com segurança

(Imagem: busca online)

No dia 23 de novembro começa o final de semana mais movimentado do varejo nacional: a Black Friday, tradicional dia de descontos e altas compras dos EUA que foi adotado pelo mercado brasileiro em 2010, começa por aqui e se estica até a segunda-feira seguinte (26), a chamada “Cyber Monday”.

Trata-se de um período muito atraente, em que lojistas e vendedores ampliam suas forças de trabalho, gerando empregos temporários e efetivos ao mesmo tempo em que oferecem descontos de alto interesse, ampliando a demanda por consumo e gerando aumento de faturamento. Idealmente, é uma situação onde todos ganham: pessoas conseguem empregos, complementam a renda e compram de lojistas, que por sua vez empregam mais pessoas, gerando mais renda para o consumidor, que se converte em novas compras e por aí vai. A movimentação em torno do período é tanta que, em 2017, o faturamento da Black Friday foi de R$ 2,1 bilhões, segundo o portal eCommerce Brasil.

Contudo, como tudo na vida, há entidades que querem tirar proveito de um final de semana de descontos de maneira inescrupulosa, tanto que, aqui no Brasil, foi cunhado o termo “Black Fraude” para rotular vendedores que usam de artimanhas para enganar seus consumidores. Pensando nisso, o Canaltech reuniu algumas dicas essenciais para ajudar você a planejar a sua próxima Black Friday e aproveitar todos os descontos que puder de maneira segura.

Prepare-se: falta pouco mais de um mês para a Black Friday

Busque sempre os canais mais conhecidos

É tentadora a ideia de fugir das grandes magazines para encontrar preços menores em lojas de menor porte. Porém, é importante ressaltar que lojas e vendedores sem um histórico comprovado podem muito bem trazer ofertas enganadoras, com preços previamente inflacionados ou mesmo golpes para pegar seus dados e seu dinheiro. Por isso, as grandes cadeias ainda oferecem um grau maior de segurança em caso de problemas. Uma ideia muito boa é sempre pegar as informações de contato e dados da loja (telefone, endereço e CNPJ) para ficar resguardado e buscar os seus direitos caso haja necessidade.

Dê preferência a canais com avaliações de usuários

Não há ninguém melhor que o próprio consumidor para aferir a qualidade (ou a falta dela) dos serviços e ofertas oferecidos por uma loja. É um detalhe negligenciado por muitos, mas avaliações feitas pelos próprios usuários geralmente trazem a experiência de compra como peso, endossando ou reclamando da forma como foi atendido. Se uma loja não oferece esse tipo de feedback, é recomendável procurar outro fornecedor.

É mais fácil com o cartão de crédito

Todos sabemos que o uso descontrolado do cartão de crédito pode render uma bela dívida cumulativa nos meses subsequentes à compra, mas, dentro do limite razoável, ele é a melhor ferramenta para se aproveitar a Black Friday e a Cyber Monday. Primeiramente, muitas lojas oferecem condições especiais de parcelamento neste período e, posteriormente, qualquer possibilidade de erro é mais simples de ser solucionada quando a compra é feita usando o plástico, bastando apenas comunicar a administradora para conseguir um estorno e o reembolso do valor gasto.

Pesquise, pesquise e, quando terminar, pesquise mais!

O consumidor bom de pechincha é aquele capaz de encontrar ofertas muito boas e/ou canais extremamente úteis. Hoje, essa tarefa ficou ainda mais fácil com serviços que comparam preços e aferem a idoneidade das ofertas mostradas. No meio digital, basta usar um desses serviços e, na hora, uma listagem com preços do seu produto em várias lojas serão exibidos, facilitando a escolha de acordo com as suas possibilidades de pagamento.

Antes de comprar qualquer coisa online, pesquise a credibilidade do canal, bem como certificar-se de que seu antivírus está atualizado e não clique em links e banners suspeitos

Segurança online

Muitos criminosos se aproveitam da Black Friday para montar esquemas de phishing, ou seja, se passar por um serviço ou site legítimo para coletar dados sigilosos do consumidor. Certifique-se de que seu sistema operacional e software de segurança estão em dia e, acima de tudo, evite clicar em links de fontes desconhecidas e banners duvidosos. Justamente nesses lugares estão escondidos códigos maliciosos que podem roubar suas informações de cartão de crédito ou coletar dados pessoais, como o seu endereço e documentação.

Denuncie ofertas “tudo pela metade do dobro”

A pesquisa por preços na Black Friday deve começar bem antes do dia específico. Isso porque algumas lojas costumam praticar o que se convém chamar de “tudo pela metade do dobro”, ou seja: semanas antes da Black Friday, alguns vendedores dobram ou até mesmo triplicam seus preços para, chegado o dia dos descontos, anunciarem um corte em que, na realidade, a “oferta” é o preço base, sem desconto algum. Casos assim devem ser relatados publicamente em suas redes sociais e também por canais de reclamação abrangentes, como o Procon e o ReclameAqui.

Faça uso de ferramentas como newsletters e construção de listas para saber quando e quais itens podem ter descontos de interesse

Faça uma lista e antecipe cadastros

Para quem prefere fazer compras online, a primeira coisa a ser pedida é a criação de um cadastro com os dados do consumidor. Contudo, na semana da Black Friday é bem comum que sites varejistas enfrentem lentidão devido ao enorme volume de acessos. Para isso, é bom antecipar o seu cadastro para assegurar uma conta fixa dentro dos servidores do site.

Outra dica interessante é listar os itens que você busca. Hoje, já existem sites que oferecem este tipo de serviço (geralmente sob nomes como “Lista de desejos” ou “Wishlist”). Nestes casos, também é possível assinalar itens com antecedência, pedindo que o site lhe envie um alerta de quando o produto estará com descontos.

Faça uso de newsletters

Ninguém gosta de propagandas entupindo a caixa de entrada dos e-mails. Mas, no caso da Black Friday, uma exceção à regra pode ser muito bem-vinda: se você não tem tempo para fazer uma busca mais sólida por conta própria, assinar as newsletters de grandes lojas pode ser uma saída, já que elas usam a ferramenta para comunicar descontos e ofertas de interesse.

Claro, é irritante ver anúncios enveredados ao meio de e-mails pessoais, mas a criação de um filtro ou categoria específica pode redirecionar correspondências de propaganda para locais específicos, sem atrapalhar seu uso pessoal.

Com informações de Kaspersky, Portal Empreendedores e Walmart

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.