BGS 2019 | ROG Phone II chega ao Brasil em 21 de outubro, promete a Asus

Por Rafael Arbulu | 14 de Outubro de 2019 às 10h55
(Imagem: Divulgação/Tencent)
Tudo sobre

Saiba tudo sobre ROG Phone II

Ficha técnica

O chefe global de marketing da ASUS, Marcel Campos, confirmou durante apresentação da empresa na Brasil Game Show 2019 que o ROG Phone II será fabricado e lançado no Brasil em breve. Ao final da feira, no domingo (13), o executivo confirmou por meio de transmissão ao vivo do estande da fabricante que o smartphone gamer chegará no dia 21 de outubro de 2019, a mesma data de lançamento do Zenfone 6, a linha principal da Asus. Preços não foram revelados.

"Três pilares são importantes para nós neste momento: a marca ROG em si e seu momento no mundo; o cenário gamer global e a transição gamer que estamos vivendo, que é a mudança da mesa para o mobile", apontou Campos em entrevista com o Canaltech. "No setor de consoles, a meu ver, quem foi pioneiro nessa transição foi a Nintendo, com o Switch, que quebrou essa barreira de 'aparelhos que são brinquedos'. Quando falamos de smartphones, vemos os aparelhos incorporarem hardware e abraçarem títulos que antes eram impossíveis e, automaticamente, isso começa a transformar o cenário desses dispositivos e, consequentemente, o cenário gamer".

Marcel comentou sobre o mercado segundo a percepção dos usuários de jogos: "Quando falamos do jogador casual, muitos falam que eles não são 'gamers' de verdade, são 'jogadores de Candy Crush', mas a realidade por trás disso é a de que, se pensarmos que cada smartphone pode ser um console, isso é, para o desenvolvedor, a percepção de que criar algo para Android, ou para PlayStation, ou para Xbox, já não são coisas tão distantes assim".

O ROG Phone II chegará ao Brasil com quase todos os seus acessórios, incluindo aí os joysticks Kunai (detalhados mais abaixo) e todos os extras de uma experiência de jogos. A única exceção, confirmou Marcel durante a transmissão ao vivo, é a dock station que leva o sistema do smartphone à televisão. Segundo Campos, isso se deu porque a homologação do acessório junto à Anatel faria com que todo o pacote — incluindo o smartphone em si — ficasse ainda mais caro.

Marcel Campos apresenta o RoG Phone II (Foto: Rafael Arbulu/Canaltech)

Falando sobre mercado, Campos crê que a indústria está caminhando para uma convergência para o mobile: "Nos próximos dois anos, acredito, o que devemos ver é uma queda nos consoles de mesa: novos lançamentos ainda vão ocorrer, normalmente, mas se as plataformas não adotarem um aspecto móvel, tal qual fez o Switch, o ritmo natural será o de queda", especula. "O Switch tem um hardware inferior aos outros dois consoles, mas se comporta como um console de mesa e vende mais que ambos. Isso é um indicativo sério de que as pessoas não querem mais ficar apenas na frente da TV, mas sim terem a liberdade de ir e vir".

"A pergunta que todo mundo faz, por não entender o cenário gaming de smartphones, é se um aparelho será adotado simplesmente por ser aquele modelo específico. O ROG Phone II não é sobre isso: ele é sobre o jogador ver um título que somente aquele smartphone pode lhe oferecer. Você se insere na bolha do consumidor que quer aquele título específico". Ele esclarece que não se refere à exclusividade na disponibilidade de jogos específicos, mas sim sobre oferecer uma experiência única.

O ROG Phone II estava restrito a uma incubadora de vidro dentro do estande, ao mesmo tempo visível e intocável salvo pelas pessoas devidamente autorizadas. Entretanto, o próprio Marcel Campos acompanhou o Canaltech em um teste rápido de um de seus acessórios: uma dock station onde o aparelho estava conectado, levava da tela do smartphone para um monitor de 49 polegadas o jogo Call of Duty Mobile. Segundo Marcel, com aquela configuração, teríamos a experiência de um FPS, mas executada por um celular.

Ele não mentiu: o jogo realmente era tão desafiador quanto se tivesse sido feito para o PC. De quebra, ainda haviam melhorias específicas da configuração: na tela do celular, certos inimigos ficavam difíceis de enxergar por estarem escondidos, mas no monitor — que expandia sem quebra de resolução o que se via no ROG Phone II —, os cenários tornaram-se ainda mais visíveis. Ademais, o som do smartphone era forte o suficiente para atravessar, tranquilamente, a barulheira do restante da feira.

Banner com a apresentação do aparelho: preços e lançamento virão até 13 de outubro (Foto: Rafael Arbulu/Canaltech)

"Aqui no estande, tivemos três caras — um joga Free Fire, o outro joga Brawl Stars e o terceiro joga Call of Duty. Os dois caras que jogam FPS se entreolharam impressionados por terem a experiência que estão habituados dentro de um smartphone. Quando eles veem a possibilidade que um aparelho como esse pode lhes oferecer, a pergunta seguinte deles foi 'Onde eu compro?'", comentou Marcel. "Tão logo, começarão a aparecer jogos que foram feitos para esse dispositivo", ele diz, apontando para o ROG Phone II. "Jogos que não sejam apenas uma vantagem competitiva, mas também uma experiência única, que os outros aparelhos não conseguirão dar".

Marcel ainda antecipa que o ROG Phone II pode ser pioneiro na amplificação dos eSports móveis: se hoje temos jogadores profissionais de Free Fire reunidos em uma mesa com vários smartphones acoplados em tomadas, o executivo antevê que o desejo deles será o de uma experiência maior, tal qual a dock station que o Canaltech testou, mencionada acima. "Na verdade, esses caras treinam em um iPad Pro. Por que? Porque a tela tem uma renovação de quadros maior, mais resolução e mais tamanho. A necessidade já está lá, porque o jogador migra do smartphone para o tablet — o app existe nos dois — para ele conseguir jogar com esses benefícios".

(Imagem: Divulgação/Asus)

O Asus ROG Phone II contará com painel OLED Full HD de 6,59 polegadas com um sensor de impressão digital integrado, suporte para HDR10 e uma taxa de atualização de 120Hz, igual ao que vimos em seu concorrente, o Razer Phone 2, lançado no ano passado. A taxa de amostragem por toque é o dobro disso, a 240Hz, e a ASUS afirma que sua latência de toque de 49 ms é a mais baixa de qualquer telefone. Você pode escolher se deseja executar o inventário de ações do Android ou a IU ROG da ASUS como parte do processo de configuração do telefone.

Sob o chassi, como citado acima, há um chipset Snapdragon 855 Plus, recém-lançado pela Qualcomm e focado em jogos, capaz de oferecer desempenho de GPU 15% superior e maior velocidade de clock da CPU em relação ao modelo padrão. A ASUS diz que seu sistema de resfriamento, incluindo uma câmara de vapor e "respiração", evitará que o 855 Plus esquente muito no pico de utilização. O ROG Phone II também tem 12 GB de RAM, até 512 GB de armazenamento, uma câmera de 48 MP e uma bateria de 6.000mAh, que a empresa diz aguentar mais de 7 horas de PUBG Mobile com a tela ajustada para 60Hz.

O recurso mais atraente do ROG Phone original era seu conjunto de acessórios para jogos, e a ASUS está atualizando esse kit no novo dispositivo. Há versões ajustadas do dock TwinView de tela dupla e do cooler AeroActive Cooler, além de um novo gamepad chamado Kunai, inspirado nos joy-cons do Nintendo Switch, composto por dois controles divididos e que podem ser conectados à lateral do telefone.

O ROG Phone II chegará ao Brasil com fabricação local, o que (torcemos) deve servir para baratear um pouco o valor final. Os acessórios, porém, não devem ter fabricação local, então espere por valores mais altos devido à importação.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas ROG Phone II

  • Submarino
    Smartphone Gamer Rog Phone II 128gb Preto
    R$ 4.249,15
  • Carrefour
    Smartphone Asus Rog Phone Ii 128Gb Black 4G Tela 6.59" Câmera Dupla 48Mp Selfie 24Mp Dual Chip Android P
    R$ 4.499,00
  • Kabum
    Smartphone Asus ROG Phone II, 128GB, 48MP, Tela 6.59´, Preto - ZS660KL-1A038BR
    R$ 4.499,00