FAB inicia negociação para compra de 2º lote de caças F-39 Gripen

FAB inicia negociação para compra de 2º lote de caças F-39 Gripen

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 25 de Maio de 2022 às 12h25
Divulgação/Força Aérea Brasileira

A FAB (Força Aérea Brasileira) terá, em breve, 66 unidades do avião caça F-39 Gripen. O início das negociações para compra do segundo pacote das aeronaves foi anunciado após reunião do Comando da Aeronáutica neste início de semana, em Brasília. A novidade foi anunciada pelo Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior. Segundo o oficial, o segundo lote deve ser formado por 26 caças.

Se a compra for concluída, as aeronaves se juntarão ao primeiro lote comprado pela FAB, de 36 aeronaves, e aos quatro Gripen F-39 extras, que também serão entregues à Força Aérea Brasileira até 2026, totalizando 66 aviões. O Comando da Aeronáutica informou que esse aumento no número de aeronaves permitirá a implantação do Gripen em mais uma base aérea, mas a localização ainda está sendo estudada pela FAB.

Segundo o Brigadeiro Baptista Junior, as unidades do modelo biposto Gripen F não serão mais fabricadas no Brasil, mas sim na Suécia, país de origem dos aviões caça. O oficial explicou que a Embraer teve participação no desenvolvimento do biplace, mas que a produção local da versão F-39E, de apenas um assento, "permite que mais unidades sejam fabricadas localmente".

Slide mostrado na apresentação da Aeronáutica destaca planos da FAB com o F-39 Gripen (Imagem: Divulgação/FAB)

O oficial da Aeronáutica também esclareceu o porquê de a FAB ter fechado o número total de aviões Gripen F-39 em 66. Segundo Baptista Junior, ele foi projetado a partir do Planejamento Baseado em Capacidades (PBC). O PBC é um estudo que define as capacidades existentes dentro da FAB, e as que o órgão pretende atingir em um determinado período de tempo.

Como é o F-39 Gripen?

O novo jato de combate da Força Aérea Brasileira não foi escolhido por acaso. Segundo a FAB, o F-39 Gripen foi selecionado por quatro razões fundamentais: eficiência, baixo custo de operação, elevada disponibilidade e capacidade tecnológica avançada. A FAB informou ainda que o F-39 Gripen é uma aeronave de última geração, conta com um sistema completo de combate e foi projetada para missões ar-ar, ar-mar e ar-solo, sob quaisquer condições meteorológicas.

"Em várias Forças Aéreas no mundo o Gripen é o vetor responsável pela soberania e proteção dessas nações, nas 24 horas do dia, assim como faz missões de policiamento aéreo em algumas regiões críticas. De fato, o Gripen é um diferencial. A aeronave é um game changer quando empregada em um cenário operacional com a junção de outras ferramentas, como os mísseis IRIS-T e Meteor, tornando, nesse contexto, a Força Aérea Brasileira ainda mais bem equipada", comemorou o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues.

Vale lembrar que os primeiros caças F-39 Gripen adquiridos pela Força Aérea Brasileira já levantaram voo. Pilotados pelo Tenente-Coronel Aviador Cristiano de Oliveira Peres e pelo Major Aviador Abdon de Rezende Vasconcelos, os F-39 Gripen ficaram cerca de 50 minutos no ar — tempo curto, mas suficiente para dar aos brasileiros o primeiro contato de fato com a aeronave. Agora, a expectativa é pela entrega da frota completa, que dará à Aeronáutica brasileira "um novo status".

Fonte: Aeroflap

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.