Assista ao 1º voo dos brasileiros pilotando o F-39 Gripen da FAB

Assista ao 1º voo dos brasileiros pilotando o F-39 Gripen da FAB

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 11 de Abril de 2022 às 16h15
Divulgação/SAAB

Os dois primeiros caças F-39 Gripen da Força Aérea Brasileira (FAB) fizeram seu voo inaugural na última semana e deram início ao que o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues, chamou de “nova era” da aviação brasileira.

Pilotados pelo Tenente-Coronel Aviador Cristiano de Oliveira Peres e pelo Major Aviador Abdon de Rezende Vasconcelos, os F-39 Gripen ficaram cerca de 50 minutos no ar — tempo curto, mas suficiente para dar aos brasileiros o primeiro contato de fato com a aeronave.

Para a Saab, empresa sueca responsável pela fabricação dos jatos, a entrada dos F-39 Gripen na Força Aérea Brasileira levará ao órgão “um importante salto qualitativo e tecnológico”.

“Alguns dos recursos embarcados até então eram inéditos para a FAB, sendo esta pioneira na operação da versão de dois assentos, o Gripen F, desenvolvido conjuntamente pelo Brasil e pela Suécia”, disse a fabricante.

Ainda de acordo com a fabricante, o contrato firmado entre ela e a Força Aérea Brasileira prevê que o último dos 36 F-39 Gripen comprados em 2014 seja entregue, no máximo, até 2026, mas a expectativa é que “a parceria seja longa e duradoura, com ampla transferência de tecnologia para capacitar o Brasil a produzir caças supersônicos”.

Cristiano de Oliveira Peres e Abdon de Rezende Vasconcelos: pilotos brasileiros do F-39 Gripen (Imagem: Divulgação/FAB)

Como é o F-39 Gripen?

A FAB informou que o F-39 Gripen é uma aeronave de última geração, conta com um sistema completo de combate e foi projetada para missões ar-ar, ar-mar e ar-solo, sob quaisquer condições meteorológicas.

O novo jato de combate da Força Aérea Brasileira não foi escolhido por acaso. Segundo a FAB, o F-39 Gripen foi selecionado por quatro razões fundamentais: eficiência, baixo custo de operação, elevada disponibilidade e capacidade tecnológica avançada.

"Em várias Forças Aéreas no mundo o Gripen é o vetor responsável pela soberania e proteção dessas nações, nas 24 horas do dia, assim como faz missões de policiamento aéreo em algumas regiões críticas", explicou a FAB.

Fonte: Saab, Aeromagazine

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.