Warren | Testamos o app financeiro de investimentos; veja o que achamos

Por Redação | 22 de Julho de 2020 às 21h00 PUBLIEDITORIAL

Os aplicativos financeiros se multiplicaram nos últimos anos, e você certamente possui vários deles instalados no seu celular. Além do aplicativo do seu banco (que pode ser uma instituição 100% digital), você provavelmente também tem um app dedicado apenas ao cartão de crédito e até programas específicos para controlar o orçamento, como Organizze ou Guiabolso.

Mas hoje nosso assunto principal envolve outro tipo de aplicativo financeiro, criado para quem deseja investir: o Warren, criado por uma empresa que leva o mesmo nome do app. A Warren é uma corretora e gestora de recursos, autorizada por todos os órgãos reguladores brasileiros — como Banco Central, Anbima e CVM — e que hoje conta com mais de R$ 1,5 bilhão sob gestão.

Mas como funciona o Warren? O que dá para fazer neste aplicativo financeiro? Será que vale a pena? Testamos o programa e você confere nossa avaliação no artigo abaixo.

O que é o Warren?

A empresa responsável pelo aplicativo foi fundada por brasileiros em 2014, nos Estados Unidos, e chegou ao Brasil em 2016. Criada por ex-sócios de uma corretora brasileira, a Warren nasceu prometendo aumentar a transparência no mundo dos investimentos, especialmente em relação ao alinhamento com o cliente.

Até hoje, a companhia destaca como um dos seus grandes diferenciais o fato de oferecer um serviço que antigamente estava disponível apenas para os extremamente ricos: a diversificação dos investimentos com base no perfil e nos objetivos de cada pessoa. Para isso, a Warren aposta na inteligência artificial, utilizando uma personalização semelhante a que você vai encontrar no Spotify ou na Netflix, por exemplo.

Seguindo a tendência atual, o Warren também é totalmente digital. Do cadastro de abertura de conta até a definição das aplicações financeiras, você consegue executar todos os passos pelo aplicativo.

Investindo em um aplicativo financeiro 100% digital

Para começar a investir com o Warren, basta abrir uma conta no app e seguir o passo a passo informado no aplicativo. Ele tem uma interface bastante intuitiva e bem construída, com telas elegantes e fáceis de se localizar.

O primeiro passo envolve conversar com a Inteligência Artificial (IA) da plataforma e responder algumas perguntas, para que o Warren entenda qual o seu perfil de investidor e a sua experiência com investimentos. São perguntas bem específicas e curiosas, mas que fazem todo sentido para o objetivo da empresa.

Depois de alguns minutos, a conta é criada e você recebe uma confirmação por e-mail. A partir daí, basta habilitar a conta e criar as suas metas financeiras, com os objetivos que você tem em mente.

Por aqui, criamos um objetivo de curto prazo, para viajar para a Europa em dois anos, e um de longo prazo, para acumular patrimônio. Claro, montamos também um objetivo para a reserva de emergência, que não tem prazo, mas precisa estar disponível em caso de urgências.

A partir daí, basta completar o cadastro tirando fotos dos próprios documentos solicitados, e depois é só começar a investir, fazendo uma TED para a empresa. O processo todo leva apenas alguns minutos, o que certamente será uma experiência inovadora para quem, por exemplo, está mais acostumado com os bancos tradicionais e sua eterna burocracia.

O que mais gostamos no Warren

Primeiro, precisamos reconhecer que a plataforma é extremamente intuitiva e fácil de usar. O aplicativo não deixa dúvidas sobre quais caminhos seguir e entrega uma experiência muito agradável ao usuário. Tudo flui e se conecta rapidamente, com uma interface bastante elegante.

Já a experiência de investimento também é simplificada, embora exista um trabalho complexo por trás. Você vai respondendo questionários aparentemente simples, enquanto a inteligência artificial do Warren calcula qual é o seu perfil de investidor.

Isso é uma mão na roda, principalmente para quem nunca teve contato com investimentos antes. Se você se confunde com a sopa de letrinhas do CDI, LCI, LCA e CDB, por exemplo, não precisa se preocupar, porque o aplicativo financeiro facilita a compreensão em perguntas básicas. Mas, até para quem já é mais experiente, a plataforma pode fazer sentido, porque entrega uma diversificação completa de forma simples e ágil.

Uma das coisas que mais chamou nossa atenção foi a construção de objetivos. Depois que a gente usa a plataforma, percebe que isso faz todo sentido. Lá, você não consegue apenas poupar dinheiro pensando em alcançar metas — como reunir R$ 50 mil para o casamento, por exemplo. A própria Warren se encarrega de investir nos produtos financeiros mais adequados ao seu perfil e aos prazos do seu objetivo.

Um investimento de curto prazo, como uma viagem, precisa ser alocado majoritariamente em ativos de baixo risco. Já metas de longo prazo, como aposentadoria ou liberdade financeira, podem envolver investimento de renda variável, em que há maior risco no curto prazo, mas, ao mesmo tempo, maiores possibilidades de retorno no longo prazo.

Outro ponto que nos agradou bastante foi a praticidade e a facilidade para rebalancear a carteira de investimentos. Quem já teve contato com alguma corretora sabe a trabalheira que dá descobrir quanto dinheiro você deve aplicar em cada produto. Mais do que isso: como acompanhar a evolução dos investimentos para rebalancear? Na Warren, os gestores fazem isso por você: basta fazer o aporte, que o montante é distribuído dentro do seu portfólio.

Em relação à escolha dos investimentos, A Warren trabalha com um sistema conhecido como wealth management, fazendo a gestão do seu portfólio em uma alocação distribuída de acordo com o perfil, a tolerância ao risco e os prazos de cada objetivo. Na prática, eles escolhem onde o seu dinheiro vai ser investido, respeitando o seu perfil de risco e diversificando o patrimônio em uma série de fundos da empresa, de renda fixa à renda variável.

Para finalizar, não poderíamos deixar de citar os custos. A taxa de gestão de patrimônio cobrada pela empresa varia entre 0,5% e 0,7% sobre o valor total investido. Segundo eles, isso é, em média, três vezes menos do que no restante da indústria.

O que não gostamos no Warren

Mas nem tudo são flores, certo? Em alguns aspectos, o aplicativo financeiro da Warren poderia melhorar — e, de acordo com a própria empresa, eles já estariam aprimorando alguns dos pontos a seguir.

Uma das funcionalidades que faz falta para quem já tem alguma experiência com investimentos é a possibilidade de comprar ações e fundos imobiliários diretamente pela plataforma. Essa função foi anunciada pela empresa neste ano e a promessa é que saia do papel em breve.

Em alguns aspectos, a plataforma também é um pouco engessada. Um objetivo não pode ser alterado depois de criado, por exemplo, no que diz respeito aos percentuais ideais de alocação que a inteligência artificial calcula. Para mudar, é preciso encerrar o objetivo e criar outro. Mas a empresa já comunicou que também está trabalhando nessas alterações.

De qualquer forma, essas funcionalidades são bastante específicas e dificilmente vão afetar a experiência de quem deseja investir com tranquilidade de transparência.

Vale a pena investir no Warren?

Dito tudo isso, vem a pergunta final: vale a pena usar o Warren para investir?

Pela nossa experiência, vale muito a pena. Trata-se de uma das melhores opções para quem busca diversificar os seus investimentos e investir com tranquilidade.

Além disso, a tecnologia embarcada no aplicativo financeiro impressiona. Desde a inteligência artificial para reconhecer o seu perfil, até a alocação de portfólio, tudo ocorre de forma automatizada e digital.

Ao mesmo tempo, a empresa conta com uma equipe muito prestativa para te atender em caso de dúvidas. Pelo que vimos, a Warren tem tudo para crescer muito com a migração da renda fixa para a renda variável no Brasil, e tende a se popularizar bastante entre os investidores mais jovens.

Ficou interessado em testar o aplicativo financeiro? Basta abrir uma conta de forma gratuita para descobrir seu perfil de investidor e começar a investir. O Warren está disponível no Google Play e na App Store.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.