TikTok ultrapassa WhatsApp e lidera downloads na Play Store em janeiro

Por Felipe Junqueira | 26 de Fevereiro de 2020 às 17h45
China Stringer Network/Reuters
Tudo sobre

TikTok

Saiba tudo sobre TikTok

Ver mais

O TikTok promete ser a nova pedra no sapato do Facebook. Depois de ter ultrapassado Messenger e o app da rede social em número de downloads ao longo de 2019, a nova plataforma foi mais baixada do que o WhatsApp durante o mês de janeiro, segundo dados da SensorTower.

O WhatsApp era o último app à frente da nova rede social em número de downloads na Google Play Store. Se os números se mantiverem assim, o TikTok pode fechar o ano de 2020 na liderança tanto da App Store quanto da loja oficial do Android. Mas vamos com calma, ainda estamos verificando dados do primeiro mês do ano.

O crescimento, no entanto, é impressionante. Comparando com o mês de janeiro de 2019, o TikTok cresceu 46% no número de instalações no primeiro mês de 2020. Comparando com o mês de dezembro, o aumento foi de 27%. Isso, claro, considerando App Store e Play Store somadas. O app já foi baixado mais de 1,82 bilhão de vezes.

Os números também mostram em que o TikTok é mais popular. Em janeiro, os três países que mais registraram downloads foram Índia, Brasil e Estados Unidos. Lembrando que a Play Store não funciona oficialmente na China, país em que o app ainda tem outro nome, Douyin, que é basicamente a mesma coisa. Nas contas da loja da Apple, são contabilizados os downloads dos dois apps, versão global e chinesa.

Gráfico mostra número de downloads e receita in-app do TikTok na App Store e Play Store somadas (Foto: Reprodução/Sensor Tower)

Também é bom lembrar que esses números só consideram as duas lojas oficiais. Há pessoas baixando aplicativos em outras lojas do Android mundo afora - e não apenas na China. Porém, claro, isso vale para aumentar não só os números do TikTok/Douyin como também para os apps do Facebook.

Cofres cheios

Falando da parte financeira, o TikTok movimentou nada menos do que US$ 39,45 milhões (aproximadamente R$ 175,3 milhões) apenas em dezembro, em compras dentro do aplicativo.

Em janeiro, apesar do volume de downloads menor, o app gerou menos receitas, que ficaram em US$ 28,6 milhões (cerca de R$ 127 milhões). Mesmo assim, foi o terceiro mês mais rentável da história da plataforma. Chineses e americanos somaram 84,5% e 10,1% do total desse dinheiro, respectivamente.

No começo do ano, os chineses fizeram menos transações no app, que aumentaram durante as festas do Ano-Novo Chinês, e ainda foram 18,7 vezes maiores do que as receitas durante as festividades de 2019.

Fonte: ITHome, via Gizmochina

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.