Pesquisa do Waze revela prática peculiar dos usuários do aplicativo

Pesquisa do Waze revela prática peculiar dos usuários do aplicativo

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 18 de Novembro de 2021 às 17h45
André Magalhães/Canaltech

O Waze é uma das maiores invenções da humanidade para quem precisa andar de carro nas grandes cidades. Exageros à parte, é fato que o app ajuda a evitar congestionamentos e a encontrar as melhores rotas para chegar seguro a um destino. Segundo dados da empresa, cerca de 50% dos usuários costumam abrir o app quando há congestionamento na via para entender o motivo disso e quase 60% deles usam o app em viagens mais longas ou em rodovias.

O aplicativo que pertence ao Google não funciona apenas como um GPS tradicional, pois traz alguns dados em tempo real fundamentais para navegação mais segura, como acidentes, blitzes, buracos na via e congestionamentos. A plataforma também alerta sobre a importância de ligar os faróis, se atentar aos pedágios à frente, limite de velocidade da via e rodízio de veículos.

Muito mais do que a rota, o app também revela lentidão, acidentes e outros perigos (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Mitos e verdades do Waze

Além destes dados, a empresa identificou alguns mitos e verdades baseados em dúvidas comuns das pessoas. Por exemplo: muita gente acha que o programa usa muitos dados móveis, o que é verdade em certo ponto, mas a companhia alega manter parceria com as principais operadoras para incluir essa transferência na maioria dos pacotes.

Outra questão interessante é sobre a frequência de atualização do serviço: ela ocorre diariamente pela comunidade, ou seja, os próprios usuários e os chamados "editores de mapa". A plataforma tem mais de 850 pessoas que se dedicam a inserir desvios, modificar ruas com mão invertida e alterar os locais de radares eletrônicos.

Desse total de voluntários, o app subdivide em cinco comunidades, cada qual com sua atuação fundamental:

  • os editores de mapa fazem os ajustes nas ruas e avenidas;
  • os testadores beta experimentam novos recursos antes de chegar para os 140 milhões de usuários ativos da plataforma;
  • os localizadores traduzem o aplicativo e seus recursos para 56 idiomas;
  • os parceiros são empresas e órgãos públicos que utilizam os dados do app para tomar decisões de mobilidade urbana;
  • Os carpoolers usam e ajudam a educar outros usuários sobre como funciona o sistema de caronas do Waze.

Outro mito desvendado pela pesquisa do Waze é sobre o caminho apontado pelo app, pois há quem diga que ele nem sempre é bom. Conforme o programa de GPS social, o trajeto do motorista é recalculado a todo momento para entregar sempre a rota mais rápida naquele instante, levando em conta congestionamentos e acidentes, por isso ele nem sempre será o mais rápido todo tempo.

Você também usa o Waze para dar uma checada porque o trânsito está parado, não é? Tem algum outro uso curioso que você faça do app? Deixe o seu comentário nas redes sociais do Canaltech.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.