Novo recurso do Google Maps afasta os motoristas de rotas sujeitas a acidentes

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 07 de Junho de 2021 às 18h43
Imagem: Tamas Tuzes Katai/Pexels

O Google já anunciou algumas mudanças no seu aplicativo Maps: em vez da rota mais rápida, ele passará a sugerir uma que seja mais ecológica e que gaste menos combustível. Agora, ele também terá uma opção para evitar rotas em que costumam ter elevados índices de acidentes.

O objetivo é reduzir o movimento em estradas e rodovias mais perigosas ao revelar caminhos alternativos, o que pode reduzir o número de colisões graves. De acordo com o portal Auto-Evolution, mais de 100 milhões de eventos de frenagem brusca poderiam ser eliminados por ano se o Google Maps instruísse os motoristas a tomarem rotas mais seguras.

Em vez de indicar o caminho mais curto, o Maps vai mostrar a rota mais segura (Imagem: Reprodução/Google)

Essa checagem de frenagens bruscas será feita em tempo real pelo aplicativo: se a IA detectar aumento delas ao longo de uma rota naquele momento, caminhos alternativos serão indicados. Segundo o Google, isso pode significar que algo ali não está correto, como um acidente na pista, ou um semáforo desligado, ou que o sol está na direção do rosto dos motoristas ou, ainda, que a visibilidade pode estar baixa por causa da neblina.

Essa novidade havia sido antecipada na conferência Google I/O, mas a empresa não havia dado mais detalhes de como isso funcionaria. Agora, ficou claro que a métrica usada para mensurar o perigo das estradas será a quantidade de freadas bruscas.

Uso dos sensores para medir

Para determinar quais estradas são perigosas,o Google Maps recorrerá a sensores que são colocados dentro dos dispositivos móveis dos motoristas. Acelerômetros e giroscópios podem detectar áreas da estrada onde há uma desaceleração repentina, o que indica uma frenagem brusca. No entanto, ainda não se sabe se o app terá a precisão necessária para identificar isso de modo real.

Para melhorar a precisão, os desenvolvedores vão cruzar os dados para ver se o motorista pisou no freio ao longo do trajeto percorrido. Devem, também, analisar as ações realizadas por outros veículos que tomam a mesma estrada ao mesmo tempo, a fim de determinar se aquele evento se repetiu com outras pessoas.

O novo recurso estará disponível na versão para Android e iOS do Google Maps, mas ainda não foi informada uma data precisa de quando deve chegar a todos. O jeito é aguardar até o anúncio oficial da companhia.

Fonte: Auto Evolution

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.