Google Meet ganha recursos de segurança para proteger suas reuniões

Google Meet ganha recursos de segurança para proteger suas reuniões

Por Ramon de Souza | 21 de Julho de 2020 às 21h15

O Google está revelando uma série de novidades para seus produtos ao longo dos últimos dias, e o Meet — sua plataforma de videoconferências que rivaliza com Zoom e Skype — não poderia ficar de fora dessa onda de melhorias.

O serviço acaba de ganhar várias funcionalidades de segurança que visam torná-lo mais seguro, especialmente para uso em ambiente corporativo ou para educação remota (dois segmentos que estão em crescimento por conta da pandemia da COVID-19).

Em primeiro lugar, a partir de agora, qualquer convidado externo que não tenha uma conta Google no mesmo domínio da G Suite terá que “bater na porta” para participar de uma reunião, sendo aceito ou não pelo organizador. Caso um indivíduo tenha seu pedido de entrada negado múltiplas vezes, ele será automaticamente bloqueado de enviar novas requisições.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Divulgação/Google

Além disso, uma vez que um participante seja excluído de uma reunião, ele não poderá mais ingressar na própria até que seja explicitamente convidado para tal. O dono da sala também poderá configurar de quais formas seus convidados poderão entrar na conferência (via telefone, por convites em seu calendário etc.);

Por fim, a plataforma também passa a permitir que você limite o uso de certos recursos dos participantes da sala — bastam poucos cliques para que, por exemplo, os convidados estejam impedidos de digitar no chat ou compartilhar sua tela. Trata-se de uma funcionalidade útil sobretudo para aulas via internet, garantindo que nenhum aluno vai interromper sua apresentação antes do tempo.

Outros produtos

Embora a maioria das novidades diga respeito ao Meet, outros produtos da G Suite também ganharam aprimoramentos. O Google Chat, por exemplo, finalmente ganhou compatibilidade com o Safe Browsing (já existente no Gmail) para identificar links maliciosos e categorizá-los como phishing em tempo real; além disso, os usuários do programa terão o poder de denunciar conteúdos indevidos em salas privadas.

Por último, mas não menos importante, também temos melhorias no painel Google Admin. Além de uma atualização visual e compatibilidade com dispositivos Apple, o dashboard agora permite que os administradores usem controles automatizados de direitos autorais sobre informações para impedir que os colaboradores baixem, copiem ou imprimam documentos do Google Docs cujos conteúdos sejam marcados como sensíveis.

Os recursos serão disponibilizados gradualmente para usuários corporativos e educacionais da G Suite ao longo das próximas semanas, sendo portados para os usuários finais em um futuro próximo.

Fonte: 9to5Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.