Facebook Messenger é o mensageiro com menos privacidade da App Store, diz site

Facebook Messenger é o mensageiro com menos privacidade da App Store, diz site

Por Felipe Junqueira | 06 de Janeiro de 2021 às 17h20

Se você concentra toda a sua vida no Facebook Messenger, incluindo informações bastante sensíveis, é melhor repensar sua postura frente ao mensageiro. Segundo um levantamento da Forbes, este é o app de conversas que mais coleta informações vinculadas ao usuário entre todos os aplicativos do tipo, incluindo o WhatsApp, que pertence à mesma empresa.

A publicação comparou todos os rótulos de privacidade vinculada ao usuário nos principais mensageiros disponíveis na App Store — o que, infelizmente, não inclui o Telegram. O Facebook Messenger coleta uma quantidade gigantesca de informações que podem ser facilmente rastreadas até você, enquanto o Signal, por exemplo, não coleta nada. O iMessage, da própria Apple, coleta “apenas” e-mail, número de telefone e ID do dispositivo, este último apenas para o histórico de buscas.

Desde 8 de dezembro, a Apple passou a exigir que todos os desenvolvedores insiram rótulos de privacidade na página do aplicativo dentro da App Store. Com isso, o usuário pode saber, antes mesmo de baixar um app, que tipos de dados são coletados e quais são vinculados a ele. Incrivelmente, o WhatsApp, que também pertence ao Facebook, coleta uma quantidade relativamente menor do que o Messenger.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O perigo dos ‘metadados’

Quantidade de dados coletados pelos mensageiros, segundo rótulos de privacidade da App Store (Imagem: Reprodução App Store/Forbes)

Mesmo coletando menos informações vinculadas a você, o WhatsApp ainda não é tão seguro assim. O diretor de segurança da informação da Cyjax, Ian Thornton-Trump, explica que os metadados, “dados sobre seus dados”, são “quase tão poderosos quanto os dados em si”.

Isso inclui informações como quem você conhece, para quem enviou ou de quem recebeu mensagens e com que frequência. Esses metadados, junto a outros, permitem que o Facebook mantenha sua poderosa máquina de coleta funcionando mesmo sem ativar o alerta de privacidade de maneira direta. E tanto o WhatsApp quanto o Messenger reúnem muitos desses dados, que são usados não apenas para vender propaganda direcionada, mas também para mantê-lo ativo na rede.

Todas essas informações coletadas pelos aplicativos do Facebook ainda são compartilhadas com empresas parceiras, para ajudar a rede social a “operar, fornecer, melhorar, entender, personalizar, apoiar e vender nossos serviços”, diz a página de política de privacidade do WhatsApp. E, assim como outros apps da empresa-mãe, o mensageiro compartilha os dados com outros serviços do Facebook.

Rótulos de privacidade do Telegram na App Store (Imagem: Reprodução/App Store)

E o mensageiro ainda coleta menos dados do que o Messenger, além de ter a criptografia de ponta a ponta, que impede o acesso direto ao conteúdo de suas mensagens por terceiros, coisa que o app de conversas do Facebook não oferece. A rede social diz que a privacidade está “no coração” do mensageiro, mas sequer oferece esse recurso quase básico em matéria de privacidade em 2021.

Em resumo, é menos perigoso passar algumas informações sensíveis pelo WhatsApp do que pelo Messenger, mas ainda não é uma boa ideia. É ainda menos perigoso fazer isso em apps como o iMessage, Signal ou até o Telegram, que coleta praticamente os mesmos dados do aplicativo da Apple, conforme o Canaltech apurou. Você mesmo pode conferir todos os dados coletados na loja de aplicativos, na área Privacidade do app, logo abaixo das avaliações.

Fonte: Forbes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.