Conheça o "Uber dos ônibus", apps para passagens de ônibus mais baratas

Reprodução

Se você costuma percorrer longos quilômetros em sua cidade ou em viagens intermunicipais e interestaduais, existem dois aplicativos que podem ser baixados gratuitamente e garantem maior agilidade e conforto na hora de agendar sua viagem - além de, é claro, passagens bem mais baratas: o UBus e Buser, ambos disponíveis também na App Store (UBus | Buser).

Conhecidos como “Uber dos ônibus”, eles permitem ao usuário economizar uma boa parte do dinheiro gasto com passagens - que pode chegar a mais de 50%. Isso porque os apps funcionam através de um fretamento colaborativo, que conecta os usuários e as empresas de transporte em sua plataforma e permite que eles façam um rateio para arcar com os custos de aluguel dos ônibus.

Assim, quanto mais pessoas viajarem em um mesmo veículo, mais barata a passagem. A princípio, o UBus tem como foco viagens dentro da própria cidade de São Paulo e região metropolitana e, atualmente, está aguardando um parecer da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) para voltar a funcionar. Já o Buser realiza viagens intermunicipais e interestaduais.

Ônibus do Buser, app conhecido como o "Uber dos ônibus" (Foto: Divulgação)

Como usar o UBus e o Buser

Ambos aplicativos funcionam de maneira semelhante: após baixá-los, é necessário informar o destino, local de partida, data de ida e data de volta (esta última, no entanto, é opcional). Depois, o app se encarregará de mostrar todas as viagens disponíveis para o local e data selecionados. Caso o ônibus já esteja lotado, não será possível concluir a compra e o usuário terá que escolher outra data de partida.

Os locais do embarque e desembarque variam de acordo com a empresa que realizará o transporte: no Buser, um ponto específico é informado pelo próprio app. No UBus, existem três opções de rota: escolhida pela empresa, pelo usuário ou até de transporte de porta em porta.

A confirmação da viagem depende de um número mínimo de passageiros que se comprometam a viajar em determinada data e também da disponibilidade da empresa selecionada.

Buser

A interface do Buser é intuitiva e, de primeira, já solicita a data de viagem e destino. Dadas essas informações, o usuário pode visualizar quantas pessoas estão procurando ônibus para aquele mesmo destino, em quais dias existem grupos sendo formados e se o grupo da data escolhida está cheio ou não.

Quando um grupo está cheio no Buser, outras opções de datas aparecem (Captura de tela: Ariane Velasco)

UBus

Antes de agendar sua viagem no UBus, o usuário deve entrar com seu e-mail ou fazer o login via Facebook. Depois, na tela inicial, é necessário selecionar “Solicitar viagem” para inserir detalhes como o destino e o local de embarque. É possível marcar a opção “Veículo com acessibilidade” para casos onde o viajante possui necessidades especiais.

É possível adicionar endereços favoritos no UBus dentro do município e região metropolitana (Captura de tela: Ariane Velasco)

Como pagar por sua passagem no “Uber dos ônibus”

O Buser permite que o pagamento seja realizado tanto através do cartão de crédito do cliente quanto no boleto bancário. No entanto, para escolher a segunda opção, é necessário agendar a viagem com 72 horas de antecedência. Já o UBus permite pagar pelas passagens via cartão de crédito ou com o bilhete de transporte BOM, válido para ônibus intermunicipais.

Menores de idade podem usar o Buser ou o Ubus?

O Buser exige que passageiros abaixo de dezesseis anos viagem acompanhado dos pais ou responsáveis maiores de idade (até o 3º grau). Além disso, pode ser necessária uma autorização judicial quando a criança ou jovem viajar para fora de sua comarca. Bebês também devem possuir uma reserva de assento individual.

Já o UBus só pode ser utilizado por passageiros maiores de 18 anos e, em seus Termos Legais, afirma que “menores de idade deverão ser assistidos por seus pais, que deverão avaliar a conveniência da utilização da plataforma pelos menores e/ou incapazes”.

Van que utilizava o UBus antes da suspensão do serviço por decisão judicial (Foto: Reprodução)

O “Uber dos ônibus” é legalizado?

UBus

Em setembro do ano passado, o UBus foi considerado clandestino pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT). Desde então, os veículos que utilizavam o aplicativo está fora de circulação até que um novo parecer seja emitido. Procuramos a assessoria do app, que afirmou que "o UBus é um aplicativo que faz a ponte entre passageiros e operadoras de transporte credenciadas.

O app funciona como um equipamento embarcado, como no caso da bilhetagem eletrônica. Não cabe ao UBus qualquer tipo de negociação, documentação ou tratativa com prefeituras, ou órgãos estaduais de transporte." A empresa também reforçou que o aplicativo "não possui veículo próprio", cabendo à concessionária "prestar todo serviço de transporte e auxílio para o usuário".

Buser

Em uma nota enviada para o Canaltech, a Buser afirmou que "a Justiça brasileira, inclusive por parte do STF, tem entendido que, além das claras vantagens da plataforma para passageiros e empresas de transporte, a Buser e suas empresas parceiras trabalham dentro dos parâmetros legais e estão submetidas a fiscalização dos órgãos responsáveis.". Assim, entendemos que o uso do aplicativo não oferece riscos além dos presentes em qualquer outro tipo de viagem.

O esclarecimento da Buser não parou por aí. Caso ainda reste alguma dúvida sobre a legalidade do serviço nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná (onde o serviço é oferecido), a empresa afirma que “a expansão do serviço caminha a passos largos, ganhando a confiança não apenas dos consumidores, mas das próprias autoridades. Dentre os estados citados, São Paulo não apresenta nenhum entrave ao funcionamento da Buser.

Quanto a Minas Gerais e Paraná o funcionamento se dá amparado em decisões judiciais, o que torna eventual a ocorrência de algum problema com as viagens fretadas pelo nosso sistema.”

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.