Brasileiros se superam e pirateiam filmes como Shrek em figurinhas do WhatsApp

Brasileiros se superam e pirateiam filmes como Shrek em figurinhas do WhatsApp

Por Ramon de Souza | 21 de Julho de 2020 às 22h20

Só existem duas coisas ilimitadas neste mundo: a zoeira e a criatividade dos brasileiros. De acordo com uma reportagem do Estadão, os internautas andam se aproveitando de um novo recurso do WhatsApp para compartilhar cópias pirateadas de filmes de animação.

É isso mesmo que você leu: a funcionalidade de criar stickers animados, recentemente lançada pelo mensageiro instantâneo, está sendo abusada para promover títulos como Shrek, Ratatouille, Bee Movie e Procurando Nemo.

A grosso modo, as figurinhas animadas do WhatsApp nada mais são do que simples imagens em GIF. Para conseguir “caber” um filme inteiro nesses arquivos, os internautas estão aplicando um nível gigantesco de compressão para exibir imagens das películas em baixíssima qualidade e em velocidade acelerada. Em tese, porém, é possível baixar o sticker e reduzir o tempo de reprodução para obter uma cópia não-oficial da obra.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Obviamente, tal moda é mais uma brincadeira descontraída do que uma forma realmente eficaz de piratear produções cinematográficas. Afinal, além da dificuldade de reverter a compressão do vídeo, você vai acabar com um arquivo desprovido de áudio. Ademais, vários internautas relatam que os stickers travam o aplicativo (por serem pesados demais) e cortam várias cenas do filme pretendido.

De qualquer forma, é possível que a febre acabe criando problemas judiciais para o Facebook, responsável pelo WhatsApp, já que as figurinhas exibem — mesmo que de uma forma pouco proveitosa — conteúdos protegidos por direitos autorais. Será que veremos os grandes estúdios de Hollywood se queixando sobre os novos stickers de Mark Zuckerberg?

Fonte: Estadão  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.