Apps que promovem encontros em troca de dinheiro serão banidos da Play Store

Apps que promovem encontros em troca de dinheiro serão banidos da Play Store

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 29 de Julho de 2021 às 12h56
Cosmopolitan

Já foi o tempo em que a Play Store era terra de ninguém, onde tudo podia e não havia controle. O Google investe em mecanismos de segurança e busca criar políticas mais sólidas para combater apps com potenciais prejuízos para o usuário. Um exemplo é o anúncio do banimento de programas relacionados a “relações sexuais remuneradas” também conhecido como sugar dating.

Nesta modalidade, homens e mulheres buscam encontros com parceiros que pagam para fazer sexo, bancam luxos ou até concedem mimos. Em geral, esse tipo de relacionamento envolve alguém mais velho e rico em busca de parceiros mais jovens. Não é enquadrado como prostituição porque existe liberdade de escolha de ambos os envolvidos e, em certas situações, sentimentos amorosos.

Em uma rápida pesquisa, dá para encontrar vários apps dedicados ao tema (Imagem: Reprodução/Play Store)

Este tipo de aplicação cresceu nos últimos anos para acompanhar a demanda e a popularização do tema. Diferentemente da imagem, a maioria dos apps não diz abertamente o seu propósito, mas deixam claro nas descrições e imagens o propósito da recompensa pelo afeto recebido. Alguns desses programas se autointitulam como sites de relacionamentos, o que não não é proibido.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Para diferenciar, só ao adentrar no sistema e analisar todas as funcionalidades, perfis e incentivos disponíveis. Isso exigiria dos avaliadores do Google um trabalho hercúleo e, por vezes, subjetivo para aplicar as penalidades.

Proibição já existe, mas era burlada

O Google já proíbe a inserção de aplicativos que promovam serviços relacionados a atos sexuais, como nudez, pornografia, fetiches e linguagem obscena. Agora, contudo, o tópico pormenoriza o conceito de sugar date como “relacionamentos em que o participante fornece dinheiro, presentes ou apoio financeiro a outro”.

Em seu anúncio oficial, a companhia não explicita a razão pela qual está banindo os aplicativos vinculados a essas temáticas. Isso provavelmente tem relação com a pressão de autoridades, em especial nos Estados Unidos, para coibir o trabalho sexual online como as “cam girls” e práticas análogas. A partir do dia 1º de setembro, nenhuma aplicação com esse enfoque será liberada pela loja oficial do Android.

Curiosamente, se fala bastante nos sugar daddy, mas há também um bom número de mulheres adaptas a essa prática. Empoderadas e com dinheiro, as sugar mommies não querem se envolver em casamento ou relações sérias, por isso preferem encontrar alguém com vitalidade para desfrutar da vida.

Contas inativas serão bloqueadas

Outras mudanças que chegam à plataforma incluem uma nova remessa de exclusão de contas de desenvolvedores inativos. Quem ficar com a conta parada por um ano, sem conexão ao Google Console ou upload de arquivos, deve ser punido.

O Google diz que fará exceções para aplicativos com mais de mil instalações ou com compras recentes no aplicativo, afinal, embora essas pessoas não publiquem novos apps, elas têm relevância na rede. De qualquer forma, antes da exclusão, os criadores serão notificados 60, 30 e 7 dias antes do banimento.

A nova política também oferece mais detalhes sobre a política de spam da Play Store e destrincha a desativação do uso de IDs de publicidade. A partir de 29 de setembro, será proibido textos e imagens que promovam spam em títulos de apps, ícones e nos nomes dos desenvolvedores. Essa prática era usada para ludibriar o algoritmo de pesquisa e apresentar resultados duvidosos.

Fonte: Android, Google [1][2]

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.