App Store está removendo todos os adesivos para WhatsApp

Por Rafael Rodrigues da Silva | 20 de Novembro de 2018 às 12h20
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Anunciado há menos de um mês, os adesivos para WhatsApp já são o pivô de uma polêmica com a Apple, que está removendo da App Store todos os adesivos feitos para o aplicativo.

O principal problema da empresa está na forma como essa ferramenta funciona: o WhatsApp permite que usuários criem seus próprios adesivos personalizados e os disponibilizem para que qualquer pessoa possa fazer o download e usá-los em suas mensagens. O WhatsApp, no entanto, não oferece uma loja interna para que esses adesivos sejam baixados, e os criadores devem lançá-los na Play Store e na App Store como aplicativos próprios.

Por conta disso, nas últimas semanas, tanto a App Store quanto a Play Store, estão sendo inundadas por novos apps que nada mais são do que adesivos para o WhatsApp. Essa ocupação na loja da maçã fez com que a Apple acabasse com esse modelo que, de certa forma, abusa do sistema da empresa.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com o site WABetaInfo, a Apple cita três motivos para remover os adesivos de sua loja:

  1. A existência de muitos aplicativos que possuem o mesmo funcionamento;
  2. A exigência de que seja instalado um outro app (o WhatsApp) para que ele funcione;
  3. O design desses aplicativos são todos o mesmo.

Segunda a empresa, esses três fatores violam as políticas de uso da App Store e por isso ela está no direito de remover esses aplicativos da loja.

Por enquanto, o WhatsApp ainda não se pronunciou sobre a medida, mas como a Apple costuma ser bem rígida com suas regras, é pouco provável que eles consigam fazer com que a empresa volte atrás. É mais provável que essa decisão faça o WhatsApp mudar o modo como trata os adesivos, criando uma loja própria dentro do app onde os usuários poderão disponibilizar suas criações - como já acontece, por exemplo com o Facebook.

Fonte: BGR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.