Prefeitura do Rio de Janeiro usa Waze para monitorar o trânsito na cidade

Por Redação | 25.07.2013 às 12:50

A Prefeitura do Rio de Janeiro firmou uma parceria com o aplicativo de trânsito Waze para tentar monitorar de maneira mais eficaz o tráfego carioca. A ideia é utilizar as atualizações postadas pelos usuários para identificar em tempo real engarrafamentos, retenções e acidentes na cidade. Por outro lado, o Centro de Operações Rio (COR) ajuda a alimentar o aplicativo com dados obtidos em sua central de monitoramento.

Atualmente, para monitorar o trânsito, a cidade do Rio de Janeiro conta com 900 câmeras, auxílio do Google Maps, Google Earth, Guarda Municipal equipada com smartphones e acesso automático a índices pluviométricos. O acesso aos dados inseridos pelos usuários do Waze em tempo real vai permitir ainda que os operadores do COR acionem uma das câmeras próximas ao local de um acidente relatado, por exemplo, para avaliar melhor a situação.

"Criamos um site especial sobre a Jornada Mundial da Juventude, que ocorre esta semana no Rio, e através do COR obtivemos as informações sobre todas as interdições de ruas, o que nos permitiu antecipar esses alertas para o aplicativo", explicou Adrian Singer, coordenador de Marketing e gerente de Comunidades do Waze, ao jornal O Globo. Singer trabalha na sede da companhia em Israel, mas está no COR ajudando a implementar o recurso.

Waze JMJ

Screenshot: site especial do Waze sobre a Jornada Mundial da Juventude (Canaltech)

Di-Ann Eisnor, vice-presidente de parcerias do Waze, também explicou ao jornal que esta não é a primeira vez que o aplicativo é usado para ajudar no monitoramento de cidades. Ele explica que durante o furacão Sandy, em outubro de 2012, o governo norte-americano contou com o aplicativo para atuar de maneira mais eficaz.

"O diretor do Departamento de Energia da Casa Branca nos ligou logo após o começo do furacão, e o Waze ajudou a localizar na região os postos de gasolina que tinham energia elétrica", conta Eisnor. "Temos conversado com muitas cidades e governos sobre o potencial de uso do Waze: também temos projetos se iniciando em Porto Alegre e Barcelona."

Depois de muita especulação, em junho de 2013, o Google comprou o Waze por cerca de US$ 1,1 bilhão. A aquisição é duplamente estratégica para o Google, já que a compra foi realizada logo após negociações frustradas do Waze com dois grandes rivais do gigante da web: Facebook e Apple.

Além disso, por ser uma plataforma colaborativa, o Waze pode dar ao Google Maps um ângulo adicional ao sistema de mapeamento proveniente da camada social oferecida por ele. Isso pode aumentar as descobertas e o engajamento do usuário na plataforma do Google.