99 vai mapear de zonas de risco para aumentar segurança de motoristas

99 vai mapear de zonas de risco para aumentar segurança de motoristas

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 26 de Maio de 2021 às 13h31
Ivo/Canaltech

Nesta quarta-feira (26), o app de mobilidade urbana 99 anunciou seus próximos esforços para preservar a segurança de motoristas parceiros. Ciente de que a maioria das ocorrências de violência tem os condutores como alvo, a plataforma dará mais controle a eles para prevenção de incidentes e maior sensação de segurança com novos passageiros.

Embora seja comum imaginar o contrário, 87% das ocorrências mais graves de violência (assaltos, furtos e agressões) são contra os motoristas, segundo informações da 99. Para atender a demanda dos parceiros, a companhia pretende rechear a chamada “Jornada do Cliente” com mecanismos de segurança para ajudar a prevenir esses casos, indo desde a coleta de mais informações do passageiro ao mapeamento das chamadas zonas de risco de cada município.

Companhia quer incrementar a segurança para os parceiros (Imagem: Divulgação/99)

Cara, crachá

No momento do cadastro, o usuário precisará digitalizar um documento oficial com foto, o que poderá ser feito usando a câmera do celular. As informações serão avaliadas por inteligência artificial, que confrontará a imagem com os dados de reconhecimento facial e, posteriormente, haverá uma análise humana sobre o conteúdo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

De quebra, isso também poupa usuários de preencher a ficha manualmente. O sistema será capaz de identificar números e informações-chave do documento para anexá-los automaticamente ao cadastro do passageiro.

Digitalização do RG adianta o preenchimento da ficha cadastral (Imagem: Divulgação/99)

A autenticação com CPF e cartão de crédito continuará funcionando. Em todo caso, a ampliação das informações serve como alternativa para evitar cadastros falsos e, consequentemente, crimes causados por passageiros irregulares.

Antes de cada corrida, a inteligência artificial apresentará um “perfil geral” do passageiro ao motorista. Esse espaço mostrará se o usuário está com as informações cadastrais em dia, quais documentos forneceu, sua avaliação e a experiência que tem com o app — sem, claro, violar a privacidade do cliente. Se desconfiar de algo, o motorista poderá cancelar a corrida rapidamente.

Você se conhece bem?

Ainda na autenticação de passageiros, a 99 estabeleceu uma parceria com a Serasa Experian para distribuir questionários entre usuários. Em perguntas de múltipla escolha, o utilizador precisará responder perguntas banais como "qual o nome da sua mãe?", "qual sua data de nascimento" ou "você é cliente de qual dessas instituições bancárias?"

Os resultados não são analisados pela 99, mas serão confrontados com a base de dados contida no Serasa. Se errar qualquer uma das perguntas, o usuário não terá sua conta bloqueada, mas precisará reinserir seu CPF para prosseguir.

Tal quiz será encaminhado em casos com potencial de risco elevado, isto é, situações em que o usuário possa representar perigo ao motorista: antes da primeira corrida feita pelo aplicativo, caronas em horários pouco convencionais para o perfil ou se tiver comportamento suspeito (cancelamentos recorrentes e destinos incomuns, por exemplo).

Eventualmente, o sistema também encaminhará o questionário para passageiros sem atitudes suspeitas, e nem mesmo os cadastros antigos ficarão de fora dessa medida. Futuramente, as perguntas também serão distribuídas para clientes antigos da plataforma.

Bairros e zonas de risco

Explorando a contribuição da comunidade, a 99 utilizará a opinião dos motoristas para mapear as zonas de risco da cidade. Depois de cada corrida, o condutor do veículo receberá um aviso na tela para responder se o local de embarque ou destino pareciam perigosos e, assim, contribuir para o batizado "Mapeamento Dinâmico".

A opinião dos motoristas será coletada após cada viagem (Imagem: Divulgação/99)

A determinação das zonas com risco em potencial acontecerá por inteligência artificial considerando a coleta de informações. Se for constatado que o destino oferece alguma possível ameaça ao motorista, ele receberá uma notificação e, se desejar, poderá rejeitar a corrida sem qualquer penalidade.

O mapa considerará o horário em que a viagem foi feita para registrar as transformações do bairro ao longo do dia. Se o local tem alta atividade comercial pela manhã, mas à noite as ruas ficam desertas e perigosas, o sistema levará isso em conta.

Questionado se isso poderia causar efeito negativo no fornecimento de serviços em algumas regiões, o diretor de segurança da 99, Thiago Hipólito, contou que o impacto dessa notificação foi mínimo (entre 10% e 15%) na disponibilidade de motorista durante testes localizados.

Notificação de zona de risco (Imagem: Divulgação/99)

Além disso, todo bairro será reavaliado a cada sete dias, revela a 99 — novamente, com ajuda de inteligência artificial. Se o sistema apresentar bons resultados, o intervalo para a avaliação será ainda menor no futuro e pode ser reduzido para até três dias.

Quando serão implementadas?

Durante o anúncio, a 99 deixou claro que a colaboração dos motoristas, o mapeamento dinâmico e a assistente de segurança já estão em funcionamento em algumas localizações de testes, mas logo as novidades serão levadas para mais municípios.

Do outro lado, a validação de acesso via questionário começará a partir de junho, enquanto a digitalização do RG entrará em ação em julho.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.