Versões antigas e gambiarras dão sobrevida ao Inbox no Android

Por Felipe Demartini | 07 de Abril de 2019 às 22h00
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

A Google encerrou oficialmente o suporte ao Inbox, seu aplicativo de e-mail com recursos adicionais e funções exclusivas, no dia 2 de abril. Por mais que muitas das funcionalidades do software tenham sido migradas para a versão tradicional do Gmail, o fim do app deixou muita gente órfã. Felizmente, para eles, ainda existem alguns caminhos para dar uma sobrevida à extinta aplicação.

Ao contrário do que acontece com a maioria das movimentações desse tipo, eles estão disponíveis em diferentes formas, que podem ser utilizadas por usuários com vários níveis de conhecimento. Os mais avançados, é claro, podem ser capazes de utilizar o Inbox de forma mais definitiva, enquanto os outros podem ter que lidar com problemas no sistema operacional Android ou com a boa vontade da Google.

Essencialmente, o que os entusiastas do Inbox descobriram é que, em suas mais recentes atualizações, o software ganhou um sistema de checagem que funciona toda vez que o app é executado. Caso a data esteja além do dia 2 de abril, o usuário vê a tela que anuncia o fim do funcionamento do software e indica a utilização do Gmail como alternativa.

Uma das soluções possíveis, então, é baixar versões desatualizadas do Inbox a partir de serviços como o APK Mirror. Sim, sabemos que sempre falamos contra essa atitude quando o assunto é a segurança, mas, aqui, estamos falando de um serviço legítimo. De acordo com o que foi descoberto, é possível retomar a utilização do aplicativo a partir de sua versão 1.76, que ainda não contava com o timer da Google.

Outra opção é modificar a data e a hora do celular como um todo, algo que, entretanto, não é recomendado, pois deve gerar problemas com outras aplicações e até recursos do sistema. A divergência na conexão com um servidor, por exemplo, pode impedir o funcionamento de redes sociais e outros softwares, além de dificultar a realização de backups. É mais simples, claro, mas também causador de uma dor de cabeça maior.

Por fim, os usuários mais avançados podem rodar um comando shell, indicado abaixo, para desabilitar o timer do Inbox em um celular rootado. Com isso, o usuário continuará vendo a tela que anuncia o fim iminente do aplicativo, mas basta a dispensá-la para continuar usando o e-mail com todos os recursos originais sem problema algum.

su  am start -n "com.google.android.apps.inbox/com.google.android.apps.bigtop.activities.SwitchActivity" --ez "countDown" true

Oficialmente, para a Google, o fim do Inbox tem a ver com um maior foco nas soluções principais da companhia, neste caso, o Gmail. Lançado originalmente em 2014, o aplicativo se tornou uma espécie de laboratório para os serviços de e-mail da empresa, com muitas de suas funcionalidades, como a organização de mensagens por tipo e o recurso de adiar algumas delas para depois, surgindo primeiro nesta versão.

Como indicado, os caminhos alternativos somente estão disponíveis no sistema operacional Android. Para quem usava o Inbox no iOS ou em sua interface web, infelizmente não há outra opção a não ser aceitar a perda.

Fonte: 9to5 Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.