Análise | Avell Volcano traz excelente custo-benefício para mouse gamer

Análise | Avell Volcano traz excelente custo-benefício para mouse gamer

Por Wagner Wakka | 03 de Junho de 2019 às 11h17
Wagner Wakka/Canaltech

A Avell apresentou em evento em São Paulo o seu primeiro mouse de fabricação própria. A companhia já trabalha com modelos de outras empresas, inclusive os vendendo em seu site oficial. Mas o Vulcano é o debute da empresa no ramo do acessórios gamers.

Antes de mais nada, é preciso dizer: este é um mouse gamer com algumas boas qualidades para quem joga. Contudo, pela sua faixa de preço, ainda entra como modelo intermediário ou até de entrada. Esta análise está sendo feita levando em consideração custo-benefício.

Especificações básicas

O Avell Vulcano chega com sete botões no total, contando com os dois cliques naturais mais os da roda central. Com isso, é possível contar outros quatro com funções diferentes. Na lateral, há as já conhecidas teclas de avançar e regredir em uma determinada página do navegador ou mesmo em pastas no seu computador.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A grande diferença está mesmo nos botões superiores. Na parte de cima do mouse, alinhado à roda de scroll, estão dois botões de controle de velocidade do mouse. Aos mais leigos, eles vão definir o quão rápido a sua setinha se move na tela.

A quem entende mais do assunto, é por aqui que se controla a sensibilidade por DPI do mouse. Ele vem com seis opções diferentes: 500, 1000, 1500, 2000, 3000 e 4000 DPI. O número é bastante alto para um acessório desta categoria e pode ser suficiente para quem é gamer e quer dar um upgrade no mouse sem gastar muito.

Contudo, o primeiro ponto negativo é que o mouse não conta com um software próprio de personalização. Os seis ajustes são o que há para o dispositivo; ou seja, você não conseguirá selecionar nem definir um nível de sensibilidade entre um desses valores.

Outra faca de dois gumes deste aparelho é a iluminação em RGB. O gadget conta com iluminação própria para dar um charme a ele, afinal, estamos falando de uma linha gamer. Os contornos laterais e do logo da Avell na parte traseira são bem interessantes, dando muito estilo ao acessório.

Entretanto, a cor do mouse é definida apenas pela velocidade dele, já ajustada a um determinado valor de DPI. Isso quer dizer que a cor do seu aparelho será atrelada a um nível de sensibilidade. Assim, se você quiser que ele se mantenha em vermelho, por exemplo, para combinar com o resto, vai ter que se acostumar com a velocidade menor da seta.

Claro que isso é um ponto bastante secundário do mouse, mas não seria uma questão tão difícil de configurar no dispositivo e que poderia vir de fábrica. No meu caso, com um teclado azul, seria um ponto positivo conseguir sincronizar as cores.

Outros dados

O Volcano chega com um sensor AVAGO 3050, da própria Avell. Ele oferece uma luz vermelha abaixo do periférico para identificar o movimento. Com isso, ele consegue uma velocidade de 60 polegadas por segundo e aceleração de 20G a uma taxa de 1000 Hz. Essas especificações são consideradas bastante avançadas para um mouse gamer, oferecendo uma resposta bastante rápida sobretudo em jogos de tiro e estratégia.

Destaque dos botões de mudança de DPI na parte de cima do mouse (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

A opção de mudança rápida de DPI, embora não tão precisa como poderia ser, também ajuda a dar mais conforto para quando você quer jogar games diferentes. Nos testes feitos com Fortnite, a movimentação seguiu fluída e muito competente no game.

Modelo

Outro ponto muito alto do Vulcano é seu modelo. Ele chega em plástico ABS, mas com um acabamento muito bom feito pela Avell. Nas laterais, para ajudar na ergonomia, há texturas que não deixam os dedos deslizarem nem o mouse escapar da mão em momento algum.

No mesmo pensamento está o botão de scroll central do mouse. Ele também conta com uma textura que permite precisão na hora de girar a rodinha. Há jogos, principalmente os de tiros, que isso define o zoom na tela e ter um movimento preciso pode ajudar.

Ainda em termos de acabamento, na parte de baixo, ele conta com pesinhos em metal. Este é particularmente um ponto bastante positivo do mouse. Primeiro, porque desliza de forma mais suave que os aparelhos com base de borracha. Ainda, junta menos pó, dando mais longevidade ao produto (sem contar que é mais fácil de limpar a peça também).

Modelo traz bom grip lateral e cores vibrantes (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Ele também não é uma peça muito grande, encaixando bem na mão. Conta com dimensões em 131 x 74 x 44mm e pesa 150g, o que lhe confere um balanço ideal para que você sinta o movimento sem que pareça lá tão pesado assim.

O último detalhe que também é um belíssimo ponto do Volcano é o cabo trançado. Isso traz um bom reforço para um tipo de cabo que, por conta do movimento e transporte do periférico, tende a ser o primeiro a sofrer. O ponto aqui é importante, já que não é raro ver pessoas perdendo um bom mouse porque o fio começou a dar defeitos. O cabo é longo, com 1,60 metros de fio.

Veredito

O Volcano está entre um dos mouses gamers com melhor custo benefício do mercado. A Avell vende o produto por R$ 126,65 no boleto e ou com juros parcelado no cartão de crédito. Nesta faixa de preço há poucas opções que trazem tantas configurações como o Volcano.

As opções de escolha rápida por DPI são uma excelente pedida para a peça. Contudo, ainda falta para a Avell desenvolver softwares como os da Logitech, que não só permite uma personalização melhor de todos botões, bem como deixa que você já salve a configuração. Assim, quando se entra em um jogo, o mouse automaticamente já se ajusta.

Cabo reforçado é um ponto autíssimo deste aparelho (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Isso não parece ser um problema de hardware, mas de software. Claro que a Avell não precisa ter uma personalização tão grande em um eventual programa próprio. Contudo, o ajuste de cores, além do ritmo da iluminação, poderia ser ajustável. Um deslize bobo em um produto tão bom.

No mais, o acessório tem um excelente acabamento e um visual que consegue unir estilo e ergonomia para um setup gamer.

Mais uma vez, dentro da faixa de mercado, ele entrega muito bem o necessário, funcionando como um aparelho de entrada para um jogador novo. Se você quiser uma experiência mais personalizável, com mudanças de peso, cores e DPI com ajuste mais refinado, pode ser que precise de algo acima do Volcano.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.