Windows 10 tem sistema de controle parental que “espiona” crianças

Por Redação | 14.08.2015 às 09:01

Em mais uma daquelas funções que poderiam ser completamente úteis se não representassem também uma flagrante brecha na publicidade, uma nova funcionalidade do Windows 10 pode ser capaz de espionar os hábitos de acesso das crianças que utilizarem o computador. Semanalmente, o sistema envia por e-mail relatórios de acesso completos para os pais, indicando quais sites ou softwares foram acessados e quanto tempo os pequenos passaram em cada um deles.

Trata-se, na verdade, de uma funcionalidade que já existe desde o Windows 8, mas que, agora, passa a ser ativada por padrão no novo sistema operacional. Sendo assim, outros usuários que possuem contas de usuário para os filhos cadastradas no PC também devem estar recebendo os relatórios de acompanhamento.

O envio dos relatórios semanais pode ser customizado ou desativado completamente por meio da conta do próprio usuário, no site da Microsoft. A ideia apenas tornou a questão ainda mais grave, já que as informações parecem estar sendo enviadas para a internet sem a autorização expressa dos pais. Por mais que estejam seguras em servidores, trata-se de um compartilhamento não-autorizado que, principalmente por se tratarem de crianças, pode acabar causando problemas legais para a fabricante do Windows.

O caso foi relatado pelo pai de um adolescente de 14 anos, que se disse assustado quanto, após a atualização para o Windows 10, começou a receber os relatórios de espionagem por e-mail sem tê-los solicitado. Ele faz um aviso tanto para os pequenos – que precisam tomar cuidado por, possivelmente, estarem tendo suas informações visualizadas por terceiros – quanto para os adultos, questionando se esse tipo de acompanhamento é realmente legítimo e necessário.

Em resposta à questão, a Microsoft afirma que se trata de uma funcionalidade para melhorar o controle parental na mesma medida em que permite que crianças e adolescentes façam um uso livre do computador. Além disso, a empresa disse que vai liberar mais funções dedicadas aos pais num futuro próximo, tornando o Windows 10 uma plataforma mais completa para todo tipo de público.

Trata-se, na verdade, de mais uma função controversa, que pode ser de menor importância para alguns, mas constituir uma flagrante violação para outros. É o mesmo caso, por exemplo, do sistema Wi-Fi Sense, capaz de compartilhar a senha de redes sem fio reconhecidas com toda a agenda de contatos do usuário, seja pelo computador ou por celulares com Windows Phone. Para especialistas em segurança, a prática pode acabar gerando a invasão de sistemas locais e a interceptação de dados por indivíduos maliciosos.

Fontes: Pplware, BoingBoing