Microsoft atualiza Virtual Desktops para administradores de sistema

Por Rafael Arbulu | 04 de Maio de 2020 às 09h00
Windows
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

A Microsoft promoveu uma série de atualizações para o Windows, voltadas ao setor corporativo e aos profissionais de TI. A mudança de maior destaque fica para o Windows Virtual Desktops, que antes exigia um nível de capacidade técnica acima da média para sequer começar a ser utilizado.

Diante deste update, a Microsoft resolveu reformular a gestão desse recurso, que permite ao usuário rodar várias iterações do Windows 10 no mesmo hardware, executando e testando aplicações em um ambiente seguro no Windows Azure. Agora, segundo a empresa, é mais fácil para os profissionais começarem a usar a função, efetivamente abrindo-a para mais pessoas que atuem na administração de sistemas.

“Algumas empresas me contaram que estão usando a infraestrutura virtual de desktop [VDI] on premise. Eles basicamente tinham que trabalhar na liberação de maior capacidade”, disse ao Techcruch o vice-presidente corporativo do Office 365 da Microsoft, Brad Anderson. “Em alguns casos, isso significa abrir mão da recuperação de desastres para em alguns de seus serviços para que isso seja possível. No mundo atual, isso é simplesmente inaceitável. Dado o que a nuvem pode fazer, as pessoas precisam ter a habilidade de aumentar ou reduzir [capacidade] conforme a demanda. E esse é o diferencial trazido pelo Virtual Desktop em relação às VDIs tradicionais”.

(Imagem: Reprodução/Techcrunch)

Além da simplificação de gerenciamento, a atualização do Virtual Desktops permite, agora, o uso do Microsoft Teams, o software de comunicação empresarial e fluxo de trabalho da empresa, dentro dos ambientes virtualizados. Por meio de uma função chamada “Redirecionamento A/V”, os usuários podem conectar os dispositivos de áudio e vídeo de suas próprias máquinas ao ambiente virtual, com o mínimo de latência. Essa função, porém, ainda está sendo distribuída e deve atingir toda a base dentro de um mês.

Isso reflete a percepção da Microsoft de que o trabalho remoto — atualmente, uma prática forçada em algumas empresas devido à pandemia global do novo coronavírus — deve manter-se em alta depois que essa situação passar, seja lá quando isso for: “Eu acho que o uso da virtualização, onde você roda apps em um data center na nuvem, e depois trazendo-o para o ambiente local, deve crescer. Isso vai introduzir uma tendência secular e crescimento das VDIs baseadas em cloud”, disse Anderson.

Outra atualização — essa, mais técnica mas bem útil para administradores de sistema — é o Microsoft Endpoint Manager, que agora permite uma melhor integração no controle de tarefas automatizadas redundantes que devam ser executadas tanto no Windows 10 como no Mac OS, os sistema operacional dos desktops e laptops da Apple. Além disso, há uma nova ferramenta voltada a gerentes de equipes, intitulada “Productivity Score”, na qual é possível avaliar como os membros de uma empresa estão interagindo, criando e editando documentos e materiais guardados no OneDrive ou SharePoint.

Fonte: Techcrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.