Bebê dançante, “pai dos memes” dos anos 90, volta em versão “remasterizada”

Por Claudio Yuge | 12 de Fevereiro de 2020 às 10h00
Digg

Se você tem entre 30 e 40 anos ou mais deve se lembrar do chamado Dancing Baby, que se tornou um viral nos primórdios da Internet, em 1996 — e pode ser chamado do “pai dos memes”. A imagem 3D animada, metade engraçada e metade assustadora, mostrava um bebê de fraldas dançando ao som de Hooked on a Feeling, canção da banda Blue Swede que ficou ainda mais famosa na trilha do filme Guardiões da Galáxia. Agora, essa criaturinha está de volta com gráficos devidamente atualizados.

Justamente por conta da introdução da música, o “proto-meme” também era conhecido por “Baby Cha-Cha “ e “The Oogachaka Baby”. Foi desenvolvido por Michael Girard e Robert Lurye em 1996, como um arquivo de origem de amostra para o pacote de software de animação 3D Character Studio (usado em conjunto com o 3D Studio Max). O conteúdo original foi lançado para que os profissionais pudessem renderizar seus próprios videoclipes. Abaixo, você vê o boneco original:

GIF: Reprodução/Digg

Um funcionário da LucasArts, Ron Lussier, compartilhou uma versão aprimorada com alguns colegas de trabalho via e-mail e o bonequinho viralizou via correio eletrônico mundo afora. A partir daí, outros designers passaram a “remixar” o bebê original: tinha uma versão “Kung Fu”, outra “Rasta” e até uma “Samurai”. Em 1998, atingiu o auge de sua popularidade quanto apareceu no seriado Ally McBeal, que sofria de ansiedade e atrelava o pequenino digital ao seu relógio biológico. Eis o modelo "remasterizado":

Não dá para saber ao certo qual era o grande apelo e porquê tanta gente achava graça nisso — mas, afinal, memes são assim mesmo, certo?

A nova versão

E como esse bebezinho tosco ressuscitou? Bem, Jack Armstrong, um estudante da Universidade Bolton, é o novo pai da criança. Um amigo perguntou se ele poderia colocar o Dancing Baby como avatar do jogo Garry’s Mod, também lançado faz tempo, em 2004, que, basicamente, testa leis da física em um ambiente sandbox.

Imagem: Reprodução/Jack Armstrong

A partir daí, ele vasculhou a web em busca de uma versão original e, tropeçando em um site abandonware antigo, encontrou um arquivo zipado. Depois de verificar se não era um malware, encontrou o Dancing Baby em toda sua graça e plenitude. “Para meu choque total, lá estava todo o pacote do Character Studio de 1996, lançado apenas em disco para clientes pagantes, de alguma forma encontrando seu caminho na Internet, anos após a relevância e as consequências legais da pirataria", comentou.

Armstrong disse que teve um pouco de trabalho para exportar o modelo original, mas, no final, conseguiu renderizar de novo o boneco, dessa vez com resolução 1080p, rodando a 60 FPS. Então, que a web receba de volta o “pai dos memes”!

Fonte: ArsTechnica  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.