Comparativo 174 / 193 vídeos

Android Wear ou Amazfit Bip? [Comparativo]

05:15 | Por Adriano Ponte | 07 de Maio de 2018

Muita gente pediu para esclarecermos as diferenças entre o Amazfit Bip (que tem análise completa aqui no Canaltech) se comparado aos modelos de relógio com Android Wear. Sendo assim, confira nosso comparativo analítico entre o Android Wear e o Amazfit Bip.

Aplicativos

Primeira e mais notável diferença entre eles:

Ao instalar no seu smartphone um aplicativo com suporte Android Wear, você será perguntado no relógio se deseja adicionar a contraparte do aplicativo ali (ou poderá buscar diretamente no relógio os apps disponíveis, graças ao grande update do Android Wear).

No Amazfit Bip, nada disso acontecerá; os apps com suporte Wear não aparecerão no Bip, nem há uma loja para que você busque novos apps e funções - é o que está ali, nada pode ser adicionado.

Bateria

Não importa qual aparelho você escolha, o Android Wear é naturalmente complexo e oferece muitos recursos que consomem processamento de fundo e afins, e não temos opções no mercado em 2018 que consigam passar dos 3 dias de uso ativo com tranquilidade; vários dos modelos com Android Wear morrem em 1 dia de uso e precisam carregar toda noite.

O Amazfit Bip naturalmente tem bem menos recursos que o Android Wear, porém transforma isso em 30 dias de uso contínuo, sem sair do seu pulso para recargas – mas recomendamos que você lave ele no banho de vez em quando, higiene, né, amigos.

Ligações

Ao receber chamadas no smartphone, é possível atender pelo relógio com Android Wear caso ele tenha saída de som integrada, como com o Zenwatch 3 que testamos aqui no Canaltech; assim você pode imitar o James Bond via bluetooth com seu relógio. Originar ligações também é possível.

O Amazfit Bip é um relógio com bluetooth, porém sem saída de som e sem suporte ao feito; ele se porta tal como a Mi Band, que usa a conexão apenas para notificar o usuário, sem transmissão de áudio.

Tela

É possível ativar o "modo ambiente" no Android Wear, uma versão simplificada e com menos definição do conteúdo da watch face escolhida no relógio; ela fica sempre ativa com luminosidade extremamente reduzida e também impacta diretamente na autonomia de bateria do relógio.

Alguns modelos como o Moto 360 Sport e o Sony Smartwatch 3 trazem soluções em suas telas para melhor legibilidade desse "modo ambiente".

Ao comparar isso com o Amazfit Bip temos a severa diferença que o relógio sempre está ativo de forma igual, sendo apenas a tela bloqueada ou desbloqueada, ativando sua luz de fundo (caso o usuário a tenha deixado acima da intensidade 0). Não há diferença, a visibilidade e as informações exibidas na tela são as mesmas, tudo muito legível sem emissão de luz (usando um painel transflectivo para isso que nunca se apaga). É similar ao Sony Smartwatch 3 porém mais legível, incluindo isso no cronômetro e timer do Amazfit Bip.

A tela estará sempre ativa ao longo dos 30 dias de autonomia.

Memória interna

Você pode optar por manter músicas offline no Google Play Music do seu Android Wear, por exemplo, ouvindo suas faixas prediletas via Bluetooth apenas tendo o relógio e um fone por perto.

No caso do Amazfit Bip, sua memória interna é inacessível ao usuário, portanto nem arquivos .mp3 nem nada; lembre que ele também não suporta aplicativos externos, então esqueça correr só com o relógio e fones.

Acompanhamento noturno

Há suporte do Android Wear para isso, e alguns modelos trazem soluções integradas de monitoramento de sono; há ainda a opção de instalar apps de terceiros (como o "Sleep as Android"), porém quase sempre esses relógios precisam estar no carregador durante a noite dada sua bateria mais esgotável, e você dormirá sem o relógio em vários momentos.

O Amazfit Bip (e outros Fitness Trackers que não são necessariamente relógios) sempre estão no pulso do usuário durante sua autonomia de bateria; automaticamente o Bip detecta o início do sono, e realiza acompanhamento cardíaco e de movimentos para lhe dar pela manhã um gráfico e dados completos de como foi sua noite de sono. Acaba sendo mais eficaz que um Android Wear.

Qual escolher?

Depende do que você quer. Precisa de aplicativos no pulso? Não escolha o Amazfit Bip, ele apenas lhe mostrará as notificações do celular, e não lhe dará nem mesmo as opções rápidas de "arquivar, excluir, lembrar mais tarde" que alguns apps permitem via notificação (coisa que é possível via Android Wear).

Precisa um relógio "com extras", para olhar a hora sempre e acompanhar previsão do tempo e dia da semana? Escolha o Bip, que sempre estará no seu pulso e quase nunca carregando.

Pense da seguinte forma: você deve escolher um Android Wear se pretende fazer muito com o relógio, e deve escolher o Amazfit Bip se precisa de um relógio simples (bem mais simples), que por acaso tem notificações do seu celular espelhadas.

Esperamos que tenha ficado mais fácil entender a diferença, e que este vídeo ajude a escolha de vocês que deixaram comentários em nossa análise completa do Amazfit Bip.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.