Análise de Produto 396 / 425 vídeos

Amazfit Bip: Apple Watch com Pebble? [Review]

16:42 | Por Adriano Ponte | 26 de Março de 2018
TUDO SOBRE

Apple

Um Apple Watch para os desavisados, com carinha de Pebble quando observado diretamente em sua tela, sempre ativa e com leitura similar ao e-paper. Este é o Amazfit Bip, um smartwatch de policarbonato com aproximadamente 30g de peso, pouco mais que a Mi Band 2 (que beira os 20g). Essa comparação direta faz todo sentido – afinal, o Amazfit Bip é praticamente uma Mi Band 2 com tela, incluindo a pulseira com toque emborrachado/de silicone.

Não confunda ele com o Amazfit Pace, que tem análise própria aqui no Canaltech; além do formato redondo, o Pace tem memória interna acessível ao usuário para que ele reproduza músicas via Bluetooth de forma independente do celular. O Amazfit Bip não faz isso, sendo mais simples e mais similar à Mi Band 2 do que aos outros Smartwatches da própria Amazfit.

Qual a lógica de utilizar um smartwatch que tem menos funções independentes se a própria Amazfit oferece dispositivos mais completos? A resposta está outra vez na comparação com uma Mi Band: autonomia de uso. Todos esses dispositivos que citamos foram concebidos também para que você durma com eles em seu pulso, monitorando cuidadosamente seu sono com registro de movimentos de frequência cardíaca (portanto ter que colocar um acessório desses para carregar durante a noite é literalmente dinheiro jogado no lixo).

Apesar da excelência de funcionamento do Amazfit Pace, 7 dias é seu limite de autonomia antes de pedir uma carga, algo que é bom se comparado a qualquer Android Wear do mercado... porém se comparado aos 30 dias de autonomia do Amazfit Bip... temos um vencedor absoluto, tal como as Mi Bands entregam em sua extrema eficiência energética.

É, parece impossível trazer qualquer informação do Amazfit Bip sem compará-lo à Mi Bands... Afinal, seus acertos entre preço/funções/bateria seguem uma receita similar ao que você vê no Bip.

Anote aí o que temos no Amazfit Bip:

  • Bateria de 190 mAh (com duração média entre 30 e 45 dias, dependendo da quantidade de notificações e uso do GPS integrado)
  • GPS/GLONASS
  • Bluetooth 4.0 BLE
  • Certificação IP68 (à prova d'água), não recomendado para mergulho
  • Tela LCD transflectiva (de 176 x 176 pixels)
  • Sensor de batimentos cardíacos
  • Acelerômetro de alta sensibilidade
  • Barômetro
  • Magnetômetro

O Amazfit Bip é compatível com aparelhos Android 4.4(+) e com as últimas verões do iOS, e deve ser pareado através do aplicativo Mi Fit (o mesmo da Mi Band), e os menus são praticamente os mesmos disponíveis para as Mi Bands, com adicionais específicos para o Bip (que podem algum dia ser acrescentados à Mi Band com atualizações); no caso falamos do "Lembrete de evento" e do "Lembrete de desconexão", opções auto-explicativas.

O Mi Fit se comporta da mesma forma que é esperado para uma Mi Band, portanto, com ele, você monitorará seu sono de forma totalmente automática (horas dormidas, sono leve ou profundo, hora de início e fim), saberá quantos quilômetros andou/correu num dia além da estimativa de calorias gastas, receberá alertas de ociosidade, desbloqueará seu smartphone pela proximidade do relógio ao aparelho e receberá notificações do smartphone no relógio.

Você pode optar pelo Mi Fit se tudo será notificado para você no relógio com vibração e alerta visual, adicionalmente lendo todo o texto das notificações disponíveis na tela do Amazfit Bip em formato de "linha do tempo". Comentaremos melhor sobre notificações daqui a pouco, mas adiantamos que o modo "não perturbe" automático também existe no Bip, evitando que ele vibre/mostre notificações ao detectar que você está dormindo.

Vale notar que toda a interação com esse relógio é via touch, porém sua tela só aceita comandos quando desbloqueada, sendo o procedimento automático (se você optar pela ativação dela sempre que erguer o pulso) ou pelo botão em sua lateral. Ela é sempre ativa e legível, porém sua iluminação adicional para o escuro e a interação com os menus requer essas condições que evitam acionamentos não intencionais.

Tudo que falamos é sobre os recursos com co-dependência do aplicativo Mi Fit, mas não se confunda: existem funções que funcionam avulsas ao smartphone, e são as seguintes:

GPS

Após iniciar um treino pelo menu de atividades, o relógio obterá sua posição e registrará o percurso completo, além da velocidade máxima/média, elevação e outros dados importantes do percurso. Você terá acesso a um micro-mapa no final do exercício na tela do Bip, mas também poderá consultá-lo com decência pelo Mi Fit mais tarde.

Utilizar o GPS impacta diretamente na bateria do Amazfit Bip, porém bem menos que o esperado: são aproximadammente 5% de bateria drenados por hora contínua de uso do GPS, o que significa que este pequeno relógio suporta absurdas 20 horas de tracking GPS sem parar. Em uso normal, o GPS do Bip deve diminuir 1 dia do uso total da bateria por sessão registrado, aproximadamente (vai que você é maluco e corre enquanto dorme todos os dias).

Magnetômetro

Além de auxiliar o funcionamento do GPS, permite que você ative o menu "bússola" e tenha em tempo real a indicação em graus

Relógio

Obviamente, a hora estará sempre disponível para o usuário sem gasto adicional de energia; durante os trinta dias de bateria de autonomia a hora estará sendo exibida continuamente, com adicionais também de "relógio" para isso, como dia da semana/data e outras informações passivas que fazem parte da "watch face" que você optou - elas são acessíveis pelas configurações do próprio relógio e pelo aplicativo Mi Fit. As funções de cronômetro e timer também estão disponíveis no menu lateral.

Os alarmes programados pela Mi Fit podem ser gerenciados como "ativos" ou "inativos" pelo Bip acessando seu menu lateral.

Status

Um resumo das estatísticas do relógio, somadas na tela do Bip: ao acessar essa tela, o relógio faz em tempo real a medição dos batimentos cardíacos do usuário e mostra o resultado após alguns segundos.

Clima

Uma vez ligado ao smartphone, o Bip sincroniza tudo, incluindo as informações do clima da sua localização atual; a última previsão do tempo sincronizada fica salva no relógio e pode ser consultada pelo menu lateral.

Continuando a análise...

Apesar do excelente monitoramento do sono entregue pelo Amazfit Bip, só é possível conferir os dados pelo aplicativo Mi Fit; se você achou bobagem, lembre que o dispositivo té dá todas as outras informações pelo próprio relógio, sem consultar o celular. Simplesmente não há sentido o relógio não te dizer nem mesmo quantas horas foram dormidas na noite passada em lugar algum do sistema.

As notificações recebidas no Bip são totalmente quebradas por hora, consequência direta de falta de suporte ao português e seus caracteres; é bem óbvio que isso é ajustável num talvez update futuro, mas por hora a experiência é rudimentar, cheia de "?" no meio das letras.

Notamos que nossa unidade não aplica nos smartphones testados o ato de "dispensar" as notificações corretamente, apesar de outros usuários próximos ao Canaltech reportarem que conseguem fazê-lo normalmente.

Ainda no tema, percebemos que infelizmente o Bip segue o que a Mi Band faz quando recebe notificações: exibe a imagem e texto por alguns segundos, e logo em seguida retorna para o estado inicial do relógio, sem indicação de que existem notificações não lidas no relógio. Se você perder o suave flash de alguns segundos sobre o que foi notificado + a suave vibração, não haverá indicação clara sobre alertas perdidos até que você manualmente ative a tela e puxe as notificações para cima.

Via atualização, o Amazfit Pace passou a controlar a mídia do smartphone pareado (pausa, avançar/retroceder faixa); por hora o Bip não possui essa muito útil função.

Caso você queira registrar com mais detalhes um exercício específico no Bip como "agachamentos" ou "pular corda" notará que estas opções nunca saíra do menu "registro de comportamentos" do Mi Fit em seu celular; pelo Bip você pode iniciar apenas as atividades de "corrida, caminhada, esteira e ciclismo".

Os alarmes criados pelo Mi Fit podem ser visualizados no menu "alarme" no Bip, podem ser ativados ou desativados pelo relógio... porém não se pode criar nenhum alarme diretamente pelo Bip; você precisa tirar o celular do bolso para criar um alarme no relógio.

Um detalhe quase óbvio: o Bip (assim como o Pace) não traz quase nada que o Android Wear/Apple Watch/Linha Gear trazem, e você não conseguirá instalar nenhum App para smartwatch nele. Isso não é um problema e sim uma característica dele/da Mi Band/do Amazfit Pace, que usam um sistema proprietário relativamente fechado. O que vem nele... é o que ele tem. Simples.

E um detalhe final: notamos pequenos riscos na tela do Bip, mesmo com uso cuidadoso. Em nosso outro Bip de cor preta (aquele que assassinamos), pode-se notar um risco mais profundo, de um arremesso meu no nosso vídeo sobre importação aqui do Canaltech; o detalhe é que nosso chão usa carpete macio no local do arremesso.

Vale a pena?

Não. Na verdade, ele é meu aparelho pessoal, provavelmente me verão usando ele sempre (cor preta). Mas aviso para não iludir ninguém e deixar bem claro as limitações do relógio.

Se uma tela não está sempre ativa, não é um relógio. O Bip tem tela de relógio, autonomia de relógio, funções de relógio; se conecta no smartphone, e, por este preço, você não encontrará nenhum relógio ao nível do Amazfit Bip.

Ele coloca na beira da lâmina os fitness trackers de um lado (que não fazem nada, apenas acompanham seus movimentos) e do outro os smartwatches, que possuem funções extras e interagem com as notificações do smartphone.

Para acompanhamento físico ele é interessante, como smartwatch (mesmo que limitado) também é bem competente; ao pensar nisso num produto só que custa aprox. R$ 200, temos um monstro imbatível nesse segmento. Vale notar que esse preço não inclui impostos e/ou outros custos de importação.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.