Análise de Produto 402 / 403 vídeos

Apple HomePod [Análise / Review]

07:48 | Por Wellington Arruda | 12 de Abril de 2018

O anúncio do HomePod foi em junho do ano passado, mas rolou um atraso aí que fez o produto chegar ao mercado de verdade somente em fevereiro deste ano.

E o grande lance é que caixas de som não estão na moda, até porque elas já estavam aí há tempos. A grande pira por trás disso tudo está no quão inteligentes são as assistentes virtuais, que podem fazer um monte de coisas sem que você precise, de fato, pegar no smartphone.

Com isso, a ideia parece ser de simplificar processos, tanto que na caixa do produto só vem… o próprio produto. E é isso aí mesmo que você deve estar pensando: pra ter um HomePod, tem que gostar da Apple e do seu ecossistema, sabe?

Pois é! Se isso é uma coisa muito boa ou muito ruim, é o que a gente vai conferir agora.

O HomePod pesa 2,5 kg e tem um pequeno display com suporte a toques no topo, além do cabo que vem plugado e não foi feito para ser removido. Só que além de ser fofinho de pegar (sério, é bem legal mesmo), esse formato entrega de cara outro ponto importante: som em 360 graus.

Ele carrega um woofer com amplificador no topo e sete tweeters (cada um com seu próprio amplificador), um microfone para correção dos graves e seis microfones para você conversar com ele.

E se você está se perguntando: sim, a Siri é uma ótima ouvinte. Quer dizer, o HomePod é um ótimo ouvinte. Os microfones funcionam perfeitamente bem, mesmo em ambientes relativamente barulhentos - como numa sala com visitas. E não precisa se esgoelar para chamar a Siri, mesmo com música um pouco alta, só que isso não é perfeito e ela pode não te entender.

A configuração inicial do HomePod também é muito fácil. Você só precisa plugá-lo na tomada, esperar alguns poucos segundos e depois encostar o seu dispositivo da Apple que o processo já começa, assim como acontece com os AirPods. E lembrando que, para usar a caixa de som, você precisa do iOS 11.2.5 ou posterior.

Nesse sentido, o dispositivo é bem eficaz. Mas isso lá nos EUA, que é onde ele realmente funciona por enquanto. Até o momento de publicação desta análise, a Siri só recebe comandos em inglês no HomePod, mas também pode traduzir coisas para o francês, alemão, italiano, mandarim e espanhol.

O Homepod tem Bluetooth 5.0, mas suporta conexão com apenas um dispositivo de cada vez, e ele precisa necessariamente ser da Apple. Em outras palavras, a caixa de som inteligente com a Siri não quer ser amiga do seu Android, mesmo que você seja assinante do Apple Music.

Mas ele não pode ser utilizado como uma caixa de som Bluetooth para o seu PC… e também não poderia ser via cabos, já que não há uma entrada P2 nem nada do tipo.

Se por acaso você curte mais usar o Spotify no seu iPhone, o AirPlay está ali para que você faça o streaming de suas músicas para a caixa de som, bem como para quem ouve músicas pelo YouTube. Isso também tem um “mas” aí no meio, já que os comandos de voz não ficam disponíveis desta forma.

E por falar em comandos de voz, ela ainda não entende quando você pede para tocar uma música “x” em um volume específico, por exemplo. Os comandos duplos ainda não são uma realidade para o HomePod.

Mas existe algo bem chato nisso de ficar preso ao Apple Music, já que desta forma o HomePod só pode buscar músicas neste serviço. E usar o AirPlay funciona para transmitir o áudio para ela, mas aí você vai ter que pegar o smartphone na mão, escolher a música e depois jogar ela para a caixa.

Por enquanto, também não é possível conectar dois HomePods ao mesmo tempo, como acontece com o Google Home. Mas, logo, logo esse recurso vai ser liberado, então fica de olho aí se você já comprou um. E, claro, com o HomeKit você já pode automatizar as lâmpadas e outros acessórios inteligentes da sua casa com ele.

A comparação seria mais ou menos assim: o HomePod é uma ótima caixa de som, mas nem mesmo o chip A8, que é o cérebro dele, conseguiu fazer a Siri ficar realmente inteligente por aqui.

Mas, olha, se por acaso você estiver ouvindo alguma música e realmente gostar dela, basta pedir à Siri que toque mais músicas como aquela, ou então para reproduzir o álbum inteiro daquela faixa. Ainda na mesma linha, a Siri consegue criar estações com base na música que você escolher. Isso aí é bem legal (e funciona bem).

Ou, mais fácil ainda, é só dizer “Hey Siri, I like this song” e então ela vai melhorar as recomendações. Se você pedir para que ela apenas “toque músicas dos anos 70”, ela vai fazer isto; ou então se você pedir para que ela “toque músicas relaxantes”, ela também vai entender.

O HomePod realmente tem graves fortes, especialmente no médio, e as músicas soam muito bem quando são reproduzidas por ele. Mas entenda que você ainda não pode ter convidados tocando músicas junto com você e nem mesmo todas as funcionalidades de uma Alexa da vida.

OK, Siri!

Se você estiver disposto a investir US$ 350 na caixa de som inteligente da Apple, também vai ter que estar bem ligado ao seu ecossistema. Se você se encaixa neste padrão, claramente vai curtir o que a Siri pode fazer. Mas, convenhamos, por enquanto ela não consegue fazer muito. Quem sabe com as futuras atualizações o HomePod realmente fique mais inteligente.

A nossa dica é: se você quer uma caixa de som inteligente, que funcione com o seu smartphone (seja ele Android ou iPhone) e tenha preço mais acessível, recomendamos olhar alguns modelos da Google ou nas caixas da Sonos.

Mas, como já falamos, vamos torcer para que o HomePod perca essa aparência “beta” e realmente se torne um produto mais funcional.

Conclusão

Bom, o HomePod é uma caixa de som que cumpre muito bem o seu papel como tal. As músicas reproduzidas nele são agradáveis, limpas e com volume realmente satisfatório, além do grave que é bem bacana e do som em 360 graus. Mas, agora, falando da Siri, a assistente virtual da Apple não consegue fazer muita coisa por aqui.

E normalmente são coisas simples, como uma ligação, ou checar o seu calendário, ou identificar a sua voz.

E, pra completar, sendo bem sincero, o Google Assistant é bem mais natural que a Siri. E ainda tem mais uma parada: quando você pede uma música, mas ela não está disponível no Play Música, mas por sorte você também é assinante do Spotify, ela toca assim mesmo no Google Home. Diferente do HomePod, é claro, que ama o Apple Music.

Gostou desse vídeo?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Citadas no Vídeo