Mitos e fatos sobre a internet via satélite

Por Bruno Henriques | 04 de Agosto de 2020 às 18h50
Unsplash

O Sputnik foi o primeiro satélite lançado ao espaço há mais de 60 anos. E desde aquele lançamento inicial, temos visto satélites serem utilizados para transmitir sinais como telefonia, televisão e GPS. Porém, a maioria da população global desconhece a capacidade do satélite de fornecer serviços de Internet - inclusive em locais que não contam com infraestrutura terrestre de fibra óptica ou cabo coaxial.

Hoje, mais do que nunca, o acesso à internet tem se tornado fundamental - especialmente porque a pandemia da COVID-19 levou à implantação de regimes de quarentena, que exigem que as pessoas fiquem em casa, estudando e trabalhando, assim como transformou digitalmente suas interações com amigos e parentes.

Mas a Internet via satélite, assim como seus benefícios, ainda são relativamente desconhecidos e mal compreendidos. De fato, a Internet via satélite é uma opção viável de conectividade ao lado de outras tecnologias como fibra, cabo e redes celulares (da 3G até a futura 5G).

Mito: Internet via satélite é uma tecnologia defasada 

Fato: A tecnologia satelital é uma das tecnologias de transmissão de dados que mais se desenvolveram nas últimas décadas. Atualmente, existem satélites dedicados à comunicação de dados em banda Ka que fornecem internet de alta velocidade e alta qualidade para residências, empresas, aviões e navios em alto-mar.

Estes satélites estão trazendo banda larga para alguns dos locais mais remotos e difíceis de alcançar no mundo, incluindo a região amazônica do Brasil - onde cabo, fibra e celular não podem alcançar ou não têm condições de serem implantados.

Mito: Internet satelital é lenta

Fato: Na conexão via satélite, a velocidade máxima fornecida pelo satélite depende primeiramente da banda de freqüência em que ele opera. Até alguns anos atrás a maior parte das ofertas satelitais no mercado brasileiro tinha como base a banda Ku, com capacidade de velocidade cerca de 10 vezes menor em comparação com a mais moderna banda Ka.

Assim, hoje é possível ter uma experiência de internet banda larga que oferece velocidades entre 10 e 20 Mbps, mesmo em locais de difícil acesso. Em outros mercados, como o norte-americano, existem planos via satélite que oferecem velocidades de até 100 Mbps para as casas dos consumidores, e velocidades de até 20 Mbps para dispositivos de passageiros em aeronaves comerciais.

Mito: Internet satélite não funciona em dias de chuva

Fato: A Internet via satélite pode funcionar durante a chuva; no entanto, é verdade que por conta da transmissão de dados ocorrer na direção do céu, as ondas de rádio geradas pelo satélite são suscetíveis a interferências climáticas – as moléculas de água têm a mesma largura das ondas em banda Ka, por exemplo.

Entretanto, seria necessária uma chuva muito forte, como de tempestades, para provocar uma grave interrupção do serviço. Sem contar que existem medidas mais drásticas que os provedores de internet via satélite podem tomar em casos de atividades climáticas intensas em grandes regiões, como aumentar a potência, mudar a modulação do sinal, ou usar equipamentos de rede em solo para corrigir a operação automaticamente.

Mito: A Internet via satélite é somente para zonas rurais

Fato: Apesar de o principal atrativo da tecnologia satelital ser a capacidade de alcançar regiões onde há alternativas mínimas de conectividade, ou mesma nenhuma disponibilidade de Internet, a verdade é que a sua cobertura depende apenas do satélite em si. No caso brasileiro temos como exemplo o SGDC-1, que consegue oferecer banda larga em banda Ka para 100% do território brasileiro, incluindo regiões como Fernando de Noronha.

Em outros mercados o satélite acaba sendo uma oportunidade para pequenas empresas em regiões no entorno dos grandes centros, onde normalmente as alternativas não oferecem uma experiência estável com altas velocidades. Além disso, a tecnologia é capaz de oferecer novos modelos de negócio, como o Internet comunitária - que utiliza tecnologias sem fio integradas ao satélite, como o Wi-Fi, para fornecer Internet de alta velocidade a preços acessíveis para comunidades que nunca tiveram Internet antes.

Embora não tenha a mesma popularidade de que algumas outras soluções de internet fixa, como fibra e cabo, a Internet via satélite está crescendo em uso - especialmente no Brasil. Ela é uma tecnologia essencial que está sendo utilizada para conectar brasileiros sem conectividade por meio da iniciativa GESAC (Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Cidadão). Até hoje, o GESAC já conectou mais de 2 milhões de estudantes em 12.000 locais. Esta tecnologia continuará a crescer em popularidade, na medida em que é utilizada para conectar casas, aviões e embarcações marítimas ao redor do mundo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.