Google Fi | Entenda do que se trata o projeto e como ele funciona

Por Natalie Rosa | 29 de Novembro de 2018 às 09h11
Reprodução

Você já ouviu falar no Google Fi? Provavelmente não, pois o serviço está disponível, ao menos por enquanto, apenas nos Estados Unidos, fornecendo serviço de dados móveis nas operadoras T-Mobile, Sprint e U.S. Cellular. Com o Fi, o usuário pode alternar entre as telecom livremente, além de também utilizar o Wi-Fi para fazer chamadas e enviar mensagens de texto.

Segundo a Google, o projeto consiste em ser sobre faturamento simplificado, sem taxas que não são mostradas aos clientes de forma transparente e que não são excedentes.

O cliente paga US$ 20 ao mês por conversas e mensagens de texto ilimitadas, além de uma taxa fixa de US$ 10 por gigabyte utilizado, pelo menos até atingir 6 GB no mês. Com isso, ele acaba atingindo um nível chamado de "Bill Protection", ou "proteção de conta", efetivado para um nível de plano Fi.

Depois de utilizar 6 GB de dados em um mês, a taxa de dados é limitada a US$ 60 pelo restante do período, sem deixar de receber o serviço de dados. O usuário pode utilizar quantos dados desejar para o mês sem pagar mais de US$ 80 para isso, sendo então o valor fixo de US$ 20 e os US$ 60 de dados. A única ressalva deste plano é que, ao atingir 15 GB de uso, a velocidade é reduzida para 256 kbps. No entanto, também há a opção de pagar novamente US$ 10 por cada GB adicional.

Benefícios

Diferente dos outros planos existentes nos Estados Unidos, o cliente não precisa pagar por um plano ilimitado todo mês se ele não quiser, mas ele vai estar lá se for utilizado pelo menos 6 GB de dados ao mês. Caso utilize menos de 6 GB, o total da fatura será inferior a US$ 80, dependendo do uso. O Bill Protection funciona não só dentro do país, como também em viagens internacionais.

Também é possível fazer a configuração de um "plano de grupo" para que até seis pessoas compartilhem uma única conta e uma única fonte de faturamento. Nada muda em relação à disponibilidade dos serviços, mas cada pessoa no plano significa menos US$ 5 na conta.

O cliente pode fazer limitações de dados para cada usuário, caso seja necessário, e é cobrado do proprietário do grupo a fatura coletiva. Como não há contrato de fidelidade, um membro do grupo pode sair quando quiser.

Como funciona?

O Google Fi funciona com um cartão SIM especial e um pequeno software que pode ser ativado na T-Mobile, Sprint ou U.S. Cellular, permitindo com que o cliente alterne entre as operadoras o quanto quiser. Nos smartphones Pixel 2XL, 3 e 3XL, um e-Sim integrado permite o uso do serviço sem a necessidade de um SIM físico, liberando seu slot para ser usado com outra operadora, caso seja necessário.

Alcance internacional

O Google Fi funciona em 170 páises sem custo adicional para o uso de dados ou mensagens de texto, sendo um diferencial em comparação com outras operadoras. Para ligações, o valor cobrado é de US$ 0,20 ao minuto, sendo ainda mais barato do que optar por fazer a ligação via Wi-Fi.

Se algum usuário norte-americano vier para o Brasil com o Google Fi, por exemplo, vai conseguir utilizar o seu smartphone por aqui normalmente.

Smartphones compatíveis com o Google Fi

Quando o Google Fi foi lançado em 2011, ainda com o nome Project Fi, era exclusivo para usuários do Nexus 6. Com o passar do tempo, a disponibilidade foi se abrangendo para smartphones Google, Motorola e LG, até que, com a mudança de nome o serviço, ficou disponível para qualquer smartphone desbloqueado.

Mais informações sobre o projeto e sua abrangência estão disponíveis no site oficial do Google Fi.

Fonte: Android Central

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.