Claro é notificada pelo Procon-SP e pode levar multa de até R$ 11 milhões

Claro é notificada pelo Procon-SP e pode levar multa de até R$ 11 milhões

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 30 de Dezembro de 2021 às 11h37
Envato/Prostock-studio

Falhas nos sistemas da Claro têm impossibilitado os clientes de usar os serviços da operadora desde domingo (26). Solicitações como recarga de celular e bloqueio ou reativação de linhas não são concluídas. Na segunda-feira (27), a Claro confirmou a instabilidade, mas não deu prazo para a solução.

O Procon-SP, então, notificou a operadora na quarta-feira (29) e solicitou mais informações à operadora sobre a pane. A companhia deve esclarecer, ainda, quais canais foram afetados e por quanto tempo. O órgão pede um parecer sobre as providências tomadas para a solução da situação e um plano de ação para o ressarcimento a clientes que tiveram os serviços interrompidos.

Segundo informou Fernando Capez, diretor-executivo do Procon-SP, a Claro pode ser multada em até R$ 11 milhões se for comprovado que o Serviço de Atendimento ao Consumidor está sendo prestado de modo defeituoso. “E se a empresa estiver dificultando ou falhando na prestação de serviço de atendimento ao consumidor ela pode ser autuada e o caso encaminhado à fiscalização", diz o comunicado enviado ao site Tecnoblog

Serviços passaram por instabilidade, mas operadora afirma que já normalizou a operação (Imagem: Divulgação/Claro)

Alguns consumidores enfrentam suspensão de outros serviços e não podem solicitar reparos porque os sistemas de atendimento estão inoperantes. Clientes que desejavam encerrar o contrato por descontentamento com a prestação de serviços também não conseguiram efetivar o pedido.

Em contato com a reportagem do Canaltech, a Claro informa que houve uma instabilidade sistêmica, mas que ela já foi solucionada. “Os serviços de atendimento ao cliente já funcionam normalmente. A operadora reforça que os serviços de voz, dados móveis, banda larga fixa e TV por assinatura não foram afetados.”

A companhia afirma, ainda, que está “à disposição para responder aos questionamentos de órgãos de defesa do consumidor sobre o caso”.

Fonte: Tecnoblog, Procon-SP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.