Athena | Facebook confirma desenvolvimento de satélite próprio de internet

Por Patrícia Gnipper | 20 de Julho de 2018 às 22h00
TUDO SOBRE

Facebook

Em maio , ouvimos os primeiros rumores sobre o projeto Athena, sendo este o satélite proprietário do Facebook para fornecimento de internet. Agora, de acordo com e-mails fornecidos pela Comissão Federal de Comunicações dos EUA, a companhia de Mark Zuckerberg teria confirmado o desenvolvimento do satélite.

Os e-mails, obtidos pela Wired, mostram que o Facebook pretende lançar o Athena no início de 2019, sendo projetado para "fornecer com eficiência acesso de banda larga a áreas não atendidas em todo o mundo". É que a internet servida por meio de cabos de fibra óptica acaba não chegando a áreas remotas do globo, pelo fato de essas estruturas serem muito dispendiosas para determinadas regiões. Por isso, a internet via satélite é quem pode garantir o acesso à rede para essa parcela mais deslocada da população — e muitas empresas de tecnologia, incluindo SpaceX e OneWeb, já vêm planejando construir seus próprios satélites de internet por aí.

Com a confirmação do Athena, o Facebook se junta a essas companhias com a missão de levar a conectividade a todo o planeta. Tais e-mails estariam sendo enviados desde 2016 e, nas mensagens mais recentes, há detalhes de reuniões que aconteceram entre funcionários da FCC e advogados de uma empresa supostamente contratada pelo Facebook.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Especificamente em uma troca de e-mails realizada em abril de 2018, tais advogados pediram o agendamento de uma nova reunião com o órgão para discutir um "pedido experimental de satélite pequeno" de seu cliente — o Facebook, ainda que as mensagens não citem o nome da companhia de Zuckerberg. Até que, em um e-mail enviado no mês seguinte, o remetente enfim se refere diretamente ao Facebook, confirmando a existência do projeto Athena.

Então, ao ser procurado pela Wired, a companhia confirmou que é ela quem está por trás do projeto. "Embora não tenhamos nada a compartilhar sobre projetos específicos no momento, acreditamos que a tecnologia de satélite será um importante facilitador da próxima geração de infraestrutura de banda larga, possibilitando a conectividade a regiões rurais onde o acesso à internet é inexistente ou quase", declarou um porta-voz do Facebook.

Essa não é a primeira vez que Mark Zuckerberg tenta levar a conexão com a internet para áreas necessitadas do planeta. Em 2013, a empresa anunciou o Internet.org, que contaria com parceiros para conectar o mundo. Um dos programas do projeto que ficou mais conhecido foi o Free Basics, que oferece a pessoas em mais de 60 países o acesso gratuito a alguns sites (incluindo o Facebook, naturalmente). Contudo, o Free Basics foi duramente criticado por conta dessa limitação, até que foi proibido na Índia em 2016.

Já outro braço do Internet.org é o Connectivity Lab, grupo de pesquisas para o desenvolvimento de tecnologias disruptivas que facilitem o acesso mundial à web. Em 2016, o projeto lançou um satélite usando um foguete da SpaceX, mas o equipamento foi destruído com a explosão do foguete. Outro projeto do Facebook que também não viu a luz do dia foi o Aquila, um drone movido a energia solar que lavaria a internet a áreas remotas. No entanto, o Facebook desistiu do projeto em junho deste ano.

Sendo assim, o Athena é, hoje, a melhor aposta do Facebook para que a empresa possa, enfim, concretizar seus planos de fornecer internet a qualquer região do mundo. Ainda em fase de projeto de pesquisa, o Athena deve ser o primeiro satélite de muitos, que, tudo dando certo, farão parte de uma rede de satélites capazes de oferecer a conexão com a internet para toda a população mundial.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.