Anatel adia em 60 dias início da internet 5G na faixa de 3,5 GHz

Anatel adia em 60 dias início da internet 5G na faixa de 3,5 GHz

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 02 de Junho de 2022 às 16h48
Pixabay

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu aprovar por unanimidade, nesta quinta-feira (2), o adiamento do prazo para o início dos compromissos e da limpeza da faixa de 3,5 GHz da tecnologia 5G. Agora as operadoras ganharam mais 60 dias para iniciar o serviço da quinta geração de internet móvel nas capitais, adiando o tempo limite do início de julho para setembro.

A matéria foi levada ao Conselho Diretor da Anatel pelo coordenador do Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência da faixa de 3.625-3.700 MHz (GAISPI), conselheiro Moisés Moreira, em pedido de urgência em reunião desta quinta devido à importância do assunto. O tema não chegou a entrar em destaque, mas foi relatado pelo conselheiro Emmanoel Campelo.

Os conselheiros aprovaram a proposta, elaborada pelo GAISPI após reunião em 11 de maio. Na época, Moreira afirmou que não seria um adiamento do 5G, mas sim um prazo adicional que constava no edital do 5G para acomodar a situação.

Operadoras ganharam mais 60 dias para iniciar o serviço 5G nas capitais; prazo vai até setembro (Imagem: Reprodução/Igor/Unsplash)

"Com esse prazo adicional, tanto o setor de telecomunicações, como as empresas usuárias de satélite (inclusive radiodifusores), terão mais segurança", disse Moreira na época.

Alguns dos argumentos usados foram a necessidade de liberação das frequências da banda C estendida (3,625 GHz a 3,700 GHz) e instalação dos filtros nas antenas parabólicas que recebem de serviços de conectividade fixa (FSS) via satélite, como transmissão de canais de TV. Por dificuldades logísticas, não foi possível contar com equipamentos necessários para realizar os trabalhos.

Espectro de 3,5 GHz do 5G já passa por testes

No começo de maio, a TIM alcançou transferência de dados de 5,4 Gbps (gigabits por segundo) em rede móvel de 5G "puro" (standalone) durante um teste em seu laboratório no Rio de Janeiro. Na ocasião, foi usada uma largura de banda de 800 MHz, além de um "reforço" do espectro de 3,5 GHz (outros 100 MHz).

Além das capitais aguardarem o 5G até setembro, as obrigações firmadas no leilão da Anatel de novembro do ano passado definem que todas as cidades brasileiras terão este 5G “puro” até 2029.

Fonte: Teletime (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.